Trajes tradicionais folclóricos de Portugal

Compilado de fotos de trajes tradicionais folclóricos para servir de inspiração ao futuro (próximo ou distante), para aumentar a admiração da beleza e variedade oriunda da Idade Média, pois lembramos do que Santa Teresinha escreveu sobre Loreto, quando visitou a Santa Casa naquela região.

“Não me admiro que a Santíssima Virgem tenha escolhido esse lugar para transportar a Sua casa bendita (...) As mulheres conservam o seu gracioso traje italiano e não adotaram, como em outras cidades, a moda de Paris".

Compilado de fotos de trajes tradicionais folclóricos para servir de inspiração ao futuro (próximo ou distante), para aumentar a admiração da beleza e variedade oriunda da Idade Média, pois lembramos do que Santa Teresinha escreveu sobre Loreto, quando visitou a Santa Casa naquela região.

“Não me admiro que a Santíssima Virgem tenha escolhido esse lugar para transportar a Sua casa bendita (...) As mulheres conservam o seu gracioso traje italiano e não adotaram, como em outras cidades, a moda de Paris".

Comenta Plinio Corrêa de Oliveira: "quanto havia de contra-revolucionário na alma de Santa Teresinha e quanto seu espírito era afeito à observação das circunstâncias da vida temporal e sensível ao princípio – tão caro a nós! – da correlação entre vida temporal e vida espiritual, de um lado. E, de outro, de como uma sadia organização social favorece a prática da virtude e a santificação. Tudo isso está contido nesse trecho tão simples, tão sintético, tão cheio de suco, tão denso!

A gente não pode deixar de sorrir ao considerar que ela mesma estava vestida conforme o que chamava “a moda de Paris”. Pois Santa Teresinha não usava os trajes de sua região porque só os camponeses continuaram fiéis aos trajes regionais e ela não era uma camponesa. Portanto se trajava segundo a moda parisiense que ainda era – naquele tempo – decente, que correspondia ao pudor, na qual não havia imoralidade. Mas em que ela discernia o mal muito grave do cosmopolitismo (...).

Podemos, então, fazer uma outra consideração: a resignação com que Santa Teresinha portava seu próprio traje. É essa a resignação com que devemos carregar esse paletó, essa gravata – reputados hoje tão reacionários... – e que não satisfazem a fome e sede de Contra-Revolução que há em nossas almas; nós sentimos que eles são uma libré da Revolução e gostaríamos de nos ver livres disso. Nossas almas sonham com outros trajes, sonham com outras coisas, não é verdade? Está bem, mas devemos ter – debaixo de uma libré que nos é imposta – a firmeza de sermos fiéis aos princípios opostos a essa libré! E aqui está a nossa posição!" (Santo do Dia, 10 de dezembro de 1970).

-----------------------------------------------------

 Portugal (especialmente Minho)

Traje de casamento