Maria de Ágreda, leitura incômoda aos protestantes e revolucionários

 A Venerável, por dom de bilocação,
prega aos índios na América do Norte.

Apesar disso, muitos ainda acham que suas obras são ruins

Todo santo é objeto de contrariedades: muitos o odeiam, muitos o amam. Como "christianus alter christus" (o cristão é outro Cristo), o santo assemelha-se a Nosso Senhor Jesus Cristo, que no começo da semana santa foi aclamado rei, e na sexta-feira, crucificado. Onde estavam, nesse dia, os que O aclamaram no domingo?

Na glória e popularidade sempre encontramos amigos, mas na miséria e no isolamento, poucos. Colocando-nos em defesa da Venerável Maria de Ágreda, O. I. C. (1602-1665) e sua "Cidade Mística de Deus", quando talvez ainda muitos a insultem, é o modo como mostramos que não somos amigos só de "domingo de Ramos".

***

Sumário

- A Venerável Maria de Ágreda: dom da bilocação, pregação aos índios, livro ditado por Nossa Senhora, corpo incorrupto, etc
- Trechos da "Cidade Mística de Deus" odiados pelos revolucionários e progressistas
- Santos tradicionais na Igreja a citaram
- Autoridades eclesiásticas que aprovaram os livros
- Espíritos protestantizados ainda põem dúvidas, apesar das diversas aprovações

***
Corpo incorrupto da Venerável, embaixo de
sua estátua, em Ágreda
A Venerável Maria de Ágreda, abadessa concepcionista: dom da bilocação, pregação aos índios, livro ditado por Nossa Senhora, corpo incorrupto, etc

Não nos aprofundaremos no fato de que a Venerável Maria de Ágreda tinha o dom da bilocação, e o usou para pregação aos índios no atual Estado do Texas, EUA. Muitos livros bons já o fizeram.
 

Fazemos uma breve apologia de sua vida aqui, mas não somos os primeiros. 

Uma breve busca pelo site www.archive.org, que visa ser um arquivo de obras digitalizadas de diversas universidades do mundo, nos mostra, em diversas línguas, edições antigas com imprimatur de inúmeros bispos:

https://archive.org/search.php?query=maria%20%C3%A1greda

Foto acima aproximada
Algumas contêm a vida de Maria de Ágreda agregada ao seu livro mais conhecido:

 La cité mystique de Dieu : vie de la Très-Sainte Vierge Marie, Maria de Jesús de Agreda précédée de la vie de l'aucteur, 1862. Paris : V. Poussielgue-Rusand. University of Ottawa. https://archive.org/details/lacitmystiqued01mari/page/n5/mode/2up

Lembramos somente que sua obra mais conhecida, a "Cidade Mística de Deus", foi ditada por Nossa Senhora, conforme a mesma venerável relata, e seu corpo jaz incorrupto no Convento das Concepcionistas, em Ágreda, no norte da Espanha.


Trechos da "Cidade Mística de Deus" odiados pelos revolucionários e progressistas, conforme lembramos de ter lido

- Nossa Senhora diversas vezes se ajoelha aos pés de S. José e pede sua bênção, em clara submissão ao chefe da família.

- Após a descoberta do "Santíssimo Sacramento" na Virgem Santíssima, S. José passa a "disputar" em humildade com sua esposa.


- A Virgem Maria fez uma espécie de "novena" pedindo a vinda do Messias, nove dias antes da Encarnação do Verbo.

- Para tornar-se Mãe de Deus, Deus tornou-a Rainha de toda a criação, isto é, ela tinha poder até de mandar o Sol diminuir a força de seus raios, o que ela fez, segundo Maria de Ágreda, para aliviar o menino de Jesus quando estavam no Egito, por exemplo.


- A "Cidade Mística de Deus" de Venerável Maria de Ágreda, assim como a ordem que esta pertencia, defendiam a Imaculada Conceição antes que essa fosse proclamada infalivelmente no século XIX.

- A Abadessa concepcionista, ao tratar da Paixão de Cristo Senhor Nosso, relata que a Virgem Santíssima sofreu internamente em perfeição com seu Filho, e só não morreu também porque Deus não deixou, isto é, Maria é Co-Redentora.

Nossa Senhora dita "La Ciudad Mistica
de Dios" a Maria de Ágreda
- A Virgem Santíssima mostra profunda veneração e submissão ao Papado diversas vezes durante a pregação dos Apóstolos.

- A Mãe de Deus dá uma doutrina moral e de muita utilidade para a Abadessa concepcionista após cada episódio narrado.
 
Santos tradicionais na Igreja a citaram

S. Luís Maria Grignion de Montfort diz, em seu famoso "Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem" (grifos nossos):

"48. (..) com a direita combaterão, derrubarão, esmagarão os hereges com suas heresias, os cismáticos com seus cismas, os idólatras com suas idolatrias, e os ímpios com suas impiedades; e com a esquerda edificarão o templo do verdadeiro Salomão e a cidade mística de Deus, isto é, a Santíssima Virgem que os Santos Padres chamam "o templo de Salomão" e a "cidade mística de Deus"". 

Autoridades eclesiásticas que aprovaram os livros

É notório que a "Ciudad Mistica de Dios" foi proibida pela Inquisição Espanhola ainda no século XVII, mas posteriormente essa proibição foi levantada. Assim, Papas, bispos e inúmeros religiosos de eminente autoridade passaram a recomendar ou aprovar a "Ciudad Mistica de Dios".

Neste livro antigo em francês, abaixo linkado, a partir da página 55, lemos diversas Bulas Papais sobre a obra. Vale lembrar que a vida de Maria de Ágreda também foi acoplada a esse volume.

La cité mystique de Dieu : vie de la Très-Sainte Vierge Marie, Maria de Jesús de Agreda précédée de la vie de l'aucteur, 1862. Paris : V. Poussielgue-Rusand. University of Ottawa. https://archive.org/details/lacitmystiqued01mari/page/n5/mode/2up


Espíritos protestantizados ainda põem dúvidas, apesar das diversas aprovações

Imbuídos de um espírito protestante asqueroso e mofador, alguns ainda ousam pôr dúvidas em seus escritos, apesar de saberem o que foi mostrado acima. 

Dizem, entre outras coisas, que Nosso Senhor Jesus Cristo, na Santa Ceia da quinta-feira Santa, comungou a Si mesmo, segundo a Cidade Mística de Deus, o que seria errado, pois Ele não podia comungar a Si mesmo.

Ora, Nosso Senhor Jesus Cristo não rogou a Deus no horto das Oliveiras? Ou seja, Deus não pediu a Deus?

Nosso Senhor Jesus Cristo, tendo sido o exemplo de homem perfeito, não teria dado exemplo perfeito de quem comunga na primeira Santa missa do mundo?

S. Paulo não disse, sobre os que comungavam em pecado mortal, "por isso muitos dentre vós estão fracos e doentes" (I Cor XI, 30), o que prova que o Santíssimo Sacramento também tem efeito sobre o corpo físico?

Nosso Senhor Jesus Cristo não queria mostrar, com essa atitude revelada a Maria de Ágreda, como a Santa Eucaristia traz forças físicas também, uma vez que Ele passaria pela Paixão?

***

Nada do que dissermos aqui terá efeito sob os espíritos protestantizados e alheios ao sentir da Igreja, os quais "ganham" adeptos ao transmitirem esse espírito, ainda quando dizem atender o antigo princípio de Justiça do "direto ao contraditório". 

Afinal, dando espaço ao contraditório e sem passar nenhum espírito ruim, o poder das trevas sabe que perderá todos aqueles que procuram a verdade com boa vontade.

Esperando que um dia a Venerável Maria de Ágreda seja canonizada e, em conformidade à Tradição da Igreja que aprovou suas obras, recomendamos a leitura da Cidade Mística de Deus, assim como privadamente a veneramos, enquanto a Igreja não admite seu culto público.

Clique aqui para ver mais Cultura Católica