Duas hipóteses teológicas sobre eventos notáveis no Castigo Mundial, por Plinio Corrêa de Oliveira (1966-73 e 92)

Bagarre é o Castigo Mundial conforme explicamos:

Clique aqui para ler mais sobre a Bagarre (Castigo Mundial), o Reino de Maria, e profecias relacionadas

Negritos nossos.

1 - Aparecerá anjos, demônios, e a própria Mãe de Deus. Os demônios e falsos-profetas se exterminarão uns aos outros. Além das razões dadas para estas coisas, pode-se crer que um Castigo em vistas de purificar o mundo sacudiria de ódio as bases do inferno, de modo que Deus permitiria aos demônios se manifestarem, e com isso eles próprios seriam um testemunho não só da importância do evento, mas do poder da Santa Igreja e de Sua Mãe Santíssima que estaria, nestes lances, em curso para instaurar o Reino dela.

"E eu não tenho dúvida nenhuma que o numero de pessoas para liquidar é tão grande e é preciso de tal maneira selecionar a pinça. que Nossa Senhora vai mandar os demônios para virem cá e para pegarem, arrastem almas talvez vivas e uivando para o inferno, pessoas vivas uivando para o inferno (...). Está no conceito de Bagarre a idéia de que Deus vai se servir dos próprios maus para destruírem tudo isto e destruírem a obra material, marcada pelo espírito deles, que eles fizeram.

De maneira que não há nenhuma incongruência em supor que esta ordem revolucionária é destrutível porque o grosso da destruição não vai ser feita por nós a sós, a maquininha [poder de ação dos Contra-Revolucionários, no caso, o "nós" do contexto] vai dar alguns pontos fundamentais da destruição e ela parecerá aos olhos dos homens como a grande destruidora, mas quando se prestar bem atenção, a gente verá que de fato a divisão entre eles, atirar uns contra os outros e todas essas coisas, que isto vai ser feito pelo próprio Deus" [1].

"A guerra franco-prussiana de 1870 que D. Bosco qualifica de primeira guerra mundial foi mundial porque impressionou o mundo. A guerra de 1914 foi mundial porque a parte mais notável do mundo dela tomou parte. A guerra de 39, 43, 44, foi mundial porque quase o mundo inteiro nela esteve.

A próxima guerra será mais do que uma guerra mundial, será uma guerra universal em que entra o universo inteiro. Entram os profetas. É uma guerra de profeta a profeta e é uma guerra em que entram os anjos e os demônios. Chega o momento em que o universo inteiro entra numa guerra" [2].

"É possível também que os anjos apareçam. Provavelmente não para fazer sofrer os homens, mas para lutar contra os demônios e para proteger os homens contra os demônios. É possível que vejamos também os anjos recebendo as almas dos que morrem pelo bom combate e levá-las ao céu. Essa luta não será só uma luta de bons contra os maus, mas será uma luta de anjos bons contra os anjos maus.

É provável que haja aparições da Virgem no meio disso, de outros santos. Talvez em certo momento de Nosso Senhor Jesus Cristo ou da Santíssima Trindade. É possível.

Mas é algo que não se pode dar como certo. Pelo menos os demônios e os anjos, tenho para mim com convicção pessoal, que é coisa certa. Mas se a Virgem apareceu a um índio tão mau como Coromoto, é de esperar que apareça também aos homens durante a Bagarre" [3].

2 - Virão agentes do demônio que imitarão carismas, prodígios e até farão uma falsa ressureição dos mortos, isto é, como na profecia de Nossa Senhora de La Salette, "tais mortos tomarão a figura de almas justas que viveram na Terra, para seduzir mais os homens; esses supostos mortos ressuscitados, que não serão outra coisa senão o demônio encarnado nessas figuras, pregarão outro evangelho contrário ao do verdadeiro Jesus Cristo, negando a existência do Céu". Estes agentes farão parte do movimento neo-pentecostal protestante desde a década de 60 infiltrado na Santa Igreja (denominado aqui por conveniência pela sigla MC). Os vários ramos do MC brigarão entre si no meio disto conforme a hipótese anterior. Isto tudo seria o auge da V Revolução: a Revolução Satânica.

"Eu creio que indiscutivelmente dentro dessa sarabanda de loucuras em que nós estamos, se vai acentuar cada vez mais a loucura. Na acentuação da loucura vão aparecer sinais do demônio imitando carismas, quer dizer, agentes do demônio que imitam carismas. Isso vai produzir naturalmente confusão e o caos que o MC prepara.

Acredito que pode haver uma hostilidade entre dois MC's, pode haver um pulular de MC's meio hostis entre si e meio ligados uns aos outros que constituem qualquer coisa de muito mais próprio ao modo de ser e aos hábitos do demônio. Do que nós imaginarmos (...), numa briga infernal de uns com os outros.

Agora, acredito que isso levaria também a prodígios porque seria dado ao demônio, assim como lhe seria dado a faculdade de imitar carismas, ser-lhe-ia dado a faculdade de fazer prodígios (...).

Eu tenho a impressão de que, em certo momento da Bagarre, o demônio vai imitar uma ressurreição dos mortos. Depois de ter se apresentado com essas hordas de indivíduos que no fundo fazem-se de um tanto carismáticos, são indivíduos que têm dons, que têm dotes, que eles não qualificam de carismas, mas que um membro de MC qualificaria se apresentasse, se analisasse.

No fundo eu tenho a impressão de que eles [os MC's] querem chegar a esse extremo de o demônio tomar material como o anjo Rafael fez com Tobias. Tomar material da terra e modelar um boneco, e esse boneco falar e mover-se, etc, totalmente como um homem. Do mesmo jeito que fez Tobias considerar o anjo inteiramente como um homem.

Eles tomariam material assim e fariam "homens" aparentemente saídos das sepulturas, e mortos ressuscitados ao longo de cerimônias de cemitério, mas que depois chegaria a manhã e o boneco continuaria a funcionar como se fosse homem. E que começaria a fazer coisas cada vez mais próximas de coisas diabólicas e horrendas. Simulando um ato de ressurreição de mortos talvez até coletivo.

Enchendo assim o mundo de demônios embonecados mas que no seu embonecamento fossem deixando transparecer cada vez mais os caracteres demoníacos. De maneira que em determinado momento eles dissessem: "Nós somos os demônios mesmo!" Mas eles já teriam jantado nas casas, já teriam dormido, já teriam feito perversões, já teriam casado, já teriam feito de tudo com as pessoas que quisessem. 

Então teríamos uma quantidade de demônios misturada com os homens tão grande, que seria difícil a gente excogitar qual seria o número desses demônios. Depois a gradual manifestação dos demônios com homens já inteiramente habituados.

Me parece que é uma hipótese que, não passa de uma hipótese, ela não se funda em nada mas que ela chama a atenção. 

E em determinado momento entram os carismas: para grande número de católicos seria dado o dom de desembonecar esses demônios, exorcizar:

- "Canalha, desfaça-se em pó!"
- "Nããooo!"
- "Estou mandando! Estou mandando em nome de Quem pode! Dê o nome de Quem pode!"
- "Não posso pronunciar o nome dEla."
- "Miserável! Cão!"

E daí para fora, uma briga do outro mundo, e de repente ... pst ! Então a pessoa com quem a gente estava conversando e que aparentaria um grande professor de universidade, um conselheiro de Estado, uma Thatcher, etc, de repente, a gente está no auge da briga [isto é, do exorcismo], se transforma em pó ! Uma poeira amarela e nojenta que a gente manda enterrar.

Quer dizer, uma transformação assim em que entraria o MC fornecendo numerosas pessoas que têm o hábito de chamar os demônios, de convocar, etc. Porque no fundo, essa coisa do MC, no que tem de autêntico, é demonismo. Não tenho dúvida nenhuma.

Veríamos então, inclusive no cemitério da Consolação [em São Paulo], a transição que se faria da 4ª para a 5ª Revolução" [4].

---------------------------------
Fontes:
[1] Simpósio de Belo Horizonte, 27 de Fevereiro de 1966, Domingo
[2] Reunião Extra, 13 de Abril de 1969, Domingo, Hotel Pavani, Serra Negra, SP
[3] Reunião para os venezuelanos, 7 de Agosto de 1973, Terça-feira
[4] Reunião da Comissão Médica, 11 de Outubro de 1992.