João Paulo II lamenta a morte do herege Jan Hus na fogueira: "figura memorável", "sinto o dever de expressar profundo pesar"

Tirado do artigo do news.va (português) sobre o ecumenismo com a seita de Jan Hus que quer o Papa Francisco

Em 1999, João Paulo II havia definido o reformador boêmio, condenado no Concílio de Constança a ser queimado na fogueira em 1415, “uma figura memorável”, em particular, por “sua coragem moral diante das adversidades e da morte”.

“Na vigília do Grande Jubileu, dissera Karol Wojtyla em 17 de dezembro de 1999, sinto o dever de expressar profundo pesar pela morte cruel infligida a Jan Hus e pela consequente ferida, fonte de conflitos e divisões, que foi desse modo aberta nas mentes e nos corações do povo da Boêmia.”

“O esforço que os estudiosos podem fazer para alcançar uma compreensão mais profunda e completa da verdade história é de importância crucial”, ressaltara o Papa polonês. A fé não tem nada a temer do esforço da pesquisa histórica, vez que também a pesquisa, em última análise, está voltada para a verdade que tem em Deus a sua fonte.”

“Uma figura como a de Jan Hus, que foi motivo de contenda no passado, acrescentara, pode agora tornar-se um sujeito de diálogo, de cotejo e de aprofundamento em comum”, na esperança de que possam ser dados passos decisivos “no caminho da reconciliação e da verdadeira unidade em Cristo” [1].

Veja mais sobre a crise na Igreja:

Papa Francisco diz: "todos nós nos encontraremos no céu". Há espaço para o inferno na teologia de Francisco ?

Papa Francisco diz: "O Corão é um livro profético de paz". O que pensar ? 

João Paulo II celebra missa com homens e mulheres nus (índios), que ajudam a ler a epístola e a levar as oferendas  

Papa Bento XVI em fotos mostra que revolucionou os símbolos, roupas e paramentos Papais

Papa Bento XVI refuta em fotos os que o chamam de "mestre da liturgia"

Clique para entender a crise na Igreja

----------------------------
Fontes:
[1] 2015-05-04 Rádio Vaticana. Link: http://www.news.va/pt/news/papa-nomeia-card-vlk-para-celebracoes-dos-600-anos