Dr.Plinio Corrêa de Oliveira profetiza a eclosão da segunda guerra mundial de 1935-38

“[o] mundo que se defronta com uma conflagração universal”

1935

“Nossa missão histórica [a do Brasil] consiste em manter neste mundo que se defronta com uma conflagração universal, um oásis de paz dentro de nossas fronteiras. Assim, contribuiremos para evitar o alastramento do mal, que é a guerra” [1]

“A guerra mundial está a bater às portas”

1936

“Os mestres da política internacional não esquecem em momento algum a palavra ‘paz’. Apenas, eles a pronunciam tendo sempre em mente os armamentos que possuem e aqueles que podem vir a possuir. Assim a ‘paz’ vê-se sempre rodeada por uma atmosfera ardente, rica em bocas de fogo, em gases e em outros objetos que dificilmente lhe permitirá longa existência” [2]

“A Europa e os Estados norte-americanos estão a braços com problemas tremendos. Dentro em pouco — e só os cegos podem contestá-lo — virá um dilúvio internacional: a guerra mundial está a bater às portas da civilização do Ocidente” [3]

Preparam-se para a guerra pela corrida armamentista


1938

“Postas estas preliminares, é muito fácil compreender-se a razão de toda a luta colonial de que o mundo contemporâneo é teatro. Em última análise, a corrida armamentista que leva todas as nações a multiplicar o mais rapidamente possível os seus armamentos, nada mais é do que um dos episódios da preparação da futura guerra. Não basta acumular armamentos e treinar homens. É preciso, principalmente, preparar munições e mantimentos” [4]

“Enquanto Hitler estiver no poder, ela [a guerra] será inevitável”


1938

“a guerra é uma questão de dias, ou de meses, mas fatalmente explodirá (...) Quando poderá ela explodir? Amanhã? Daqui a 6, 10, 12 ou 24 meses? Não o sabemos. Mas, enquanto Hitler estiver no poder, ela será inevitável” [5]

CLIQUE: Plinio Corrêa de Oliveira e suas Profecias
---------------------
Fontes:
[1] Self-Control, “Legionário”, 13-10-35.
[2] À margem dos fatos, “Legionário”, 5-7-36.
[3] Unidade nacional, “Legionário”, 22-11-36.
[4] Com mouros à vista, “Legionário”, 13-2-38
[5] O verdadeiro sentido do vôo de Chamberlain, “Legionário”, 18-9-38