Dr.Plinio prevê a derrapagem da revolução na geração atual e dias em que vivemos (anos 10)

A falta do ardor revolucionário atualmente é bem significada pelos protestos de Junho de 2013, que, apesar de ter começado com um grupo de revolucionários, quando tomou fôlego, desbancou para um desabafo geral da população, com cunho patriótico. Os grupos de esquerda, quando não completamente ignorados, foram muitas vezes hostilizados nesses protestos. Isso para não mencionar as inúmeras marchas pró-vida, pró-família e anti-governo esquerdista que estouraram em vários países nesta época que vivemos. Grifos nossos.

O mundo parecia imerso no ardor revolucionário e o futuro aparentava ser uma rampa

 
“O ambiente dominante na década de 80 era plúmbeo: no Brasil, a abertura política permitiu o renascimento triunfante do PT com seus programas revolucionários; no mundo, a IV Revolução começou a dar seus primeiros passos rumo à criação da União Européia. Lembro-me de comentar com outros membros do Grupo que a única possibilidade de uma reviravolta na marcha dos acontecimentos, seria um milagre ou o início da “bagarre”, termo usado por ele para indicar os castigos anunciados em Fátima, nos anos de 1917”.

Apesar disso, Dr.Plinio profetiza que a revolução seria freiada com as novas gerações pela falta do ardor revolucionário de antes

“Creio que em 1988, Dr.Plinio, na maior calma e segurança, anuncia que a Revolução estava perdendo o “gume”, que a geração nova não possuía mais o ardor revolucionário de seus pais e avós e que, com isso, nossa hora estava se aproximando. Mais ainda, descreveu o fenômeno da “franja”, isto é, de setores da opinião pública que estariam começando a se desencantar com os programas revolucionários e desejosos, ou de se manterem no status quo, ou mesmo de participar de movimentos contra revolucionários. Ele utilizou da figura de alguns passageiros de um trem desgovernado, acelerado além dos limites, que aproveitam a parada numa estação, para desembarcar. Uma parte deles fica a espera de outro trem, mas diversos passageiros preferem voltar ao ponto de partida.

Minha primeira reação deveria ser a de alívio, mas fiquei pasmo diante do contraste entre a realidade trágica que até então ocupava nossos horizontes mentais e esse novo
 quadro profético otimista. Prever a difusão universal do marxismo no após guerra e os extremos de imoralidade a que chegamos, pode ser considerado fruto de raciocínios baseados nos princípios contidos no livro Revolução e Contra-Revolução. Mas profetizar uma derrapagem na marcha revolucionária, exatamente quando ela parecia inconcebível? Prever o aparecimento de movimentos de jovens por toda parte, desejosos de se oporem ao petismo, ao aborto e ao casamento entre os homossexuais? Parece impossível, mas é o que está acontecendo, vinte e cinco anos após. Esses passageiros insatisfeitos não são contra revolucionários autênticos, seu desencanto é pontual, sua reação é instintiva, mas representam, sem dúvida, um peso morto para a Revolução” [1].
CLIQUE: Plinio Corrêa de Oliveira e suas Profecias 
-----------------------------
Fonte:
[1] Aspectos da espiritualidade do Dr. Plinio, o revide da honra de Deus, Adolpho Lindenberg. Esse artigo foi publicado posteriormente à nossa publicação no livro de 2016 de Dr.Adolpho, "Meu Primo Plinio Corrêa de Oliveira", Ed.Artpress, Pg.102-103