Os Salmos falam de um castigo divino? Análise dos Salmos 73 e 74

 Santo Rei David, um dos salmistas, rogai por nós!

Anterior: Profeta Malaquias fala da vinda de um Castigo por causa do relativismo, então os ímpios prosperando se verão em apuros

Clique para mais: Profecias Católicas


Extraído de:
"O Príncipe dos Cruzados (Vol. I, parte I, 3a edição, Cap. IV)".


Texto bíblico e abaixo o comentário.

-Salmo 73

1 Hino de Asaf. Por que, Senhor, persistis em nos rejeitar? Por que se inflama vossa ira contra as ovelhas de vosso rebanho?

 
Parece que o Senhor deixou seu povo, e as ovelhas ficaram à deriva sofrendo na crise.

2 Recordai-vos de vosso povo que elegestes outrora, da tribo que resgatastes para vossa possessão, da montanha de Sião onde fizestes vossa morada. 3 Levanta as tuas mãos contra a soberba sem limites. Quantas maldades cometeu o inimigo no santuário.

A Igreja Católica, o povo do Senhor, parece completamente devastada pela crise, e os santuários também.

Mas esse versículo possui sentido meramente material? Não, porque toda a profecia, como já dito neste volume, diz alguma coisa sobre cada época. "Toda escritura serve para ensinar" diz S. Paulo. Se não podemos tirar uma letra dos livros sagrados, segundo S. João no Apocalipse, as profecias servem ao futuro também.

4 Os adversários rugiam no local de vossas assembléias, como troféus hastearam suas bandeiras.

O estandarte é uma bandeira contra a verdadeira Igreja.

5 Pareciam homens a vibrar o machado na floresta espessa. 6 Rebentaram os portais do templo com malhos e martelos,


A floresta espessa é a Igreja já crescida, bem florescida com tantos santos e templos. Esses homens querem destruir a floresta.

7 atearam fogo ao vosso santuário, profanaram, arrasaram a morada do vosso nome. 8 Disseram em seus corações: Destruamo-los todos juntos; incendiai todos os lugares santos da terra.

Incendiar com o fogo de suas heresias e erros. Todos os lugares de peregrinação estarão cheios desse veneno que os inimigos atearam.

9 Não vemos mais nossos emblemas, já não há um profeta. Deus não nos conhecerá daqui em diante.
 

A Igreja, por causa disso tudo, parece irreconhecível, e não há mais profeta.

10 Ó Deus, até quando nos insultará o inimigo? O adversário blasfemará vosso nome para sempre? 11 Por que retirais a vossa mão? Por que guardais vossa destra em vosso seio?


Clamor ao Senhor por toda a situação.

12 Entretanto, Deus é nosso rei desde os tempos antigos, ele opera a salvação no meio da terra. 13 Vosso poder abriu o mar, esmagastes nas águas as cabeças de dragões. 14 Quebrastes as cabeças do dragão, deste-o a comer aos povos da Etiópia. 15 Fizestes jorrar fontes e torrentes, secastes os rios de Etan.

Lembrança de todos os castigos que Deus infringiu, por causa que o justo vê necessário um castigo.

16 Vosso é o dia, a noite vos pertence: vós criastes a lua e o sol, 17 Vós marcastes à terra seus confins, estabelecestes o inverno e o verão.

Deus foi quem fez os astro, isto é, não foi uma combinação do universo. A Terra também foi medida, assim como suas estações. O salmista lembra disso porque foi esquecido pelos homens e tem a ver com o Castigo mundial, que terá efeitos astronômicos, como a escuridão, exatamente para deixar claro o poder de Deus sob essas coisas.

18 Lembrai-vos: o inimigo vos insultou, Senhor, e um povo insensato ultrajou o vosso nome. 19 Não abandoneis ao abutre a vida de vossa pomba, não esqueçais para sempre a vida de vossos pobres.

O salmista pede justiça contra o povo insensato, e também o inimigo, que no caso é aquele que tomou a Igreja.

20 Olhai para a vossa aliança, porque todos os recantos da terra são antros de violência. 21 Que os oprimidos não voltem confundidos, que o pobre e o indigente possam louvar o vosso nome.

Toda a terra está envolto em confusão, é a primeira fase do castigo: a confusão das mentes. Os pobres e indigentes não conseguem distinguir a verdade na confusão geral, não há ninguém que os exorte.

22 Levantai-vos, ó Deus, defendei a vossa causa. Lembrai-vos das blasfêmias que continuamente vos dirige o insensato. 23 Não olvideis os insultos de vossos adversários. A soberba daqueles que te aborrecem aumenta continuamente.

Pedido de justiça ao Senhor.

-Salmo 74

1 Ao mestre de canto. Não destruas. Salmo de Asaf. Cântico.

 
O mesmo salmista do salmo anterior, ou seja, há uma continuidade no pedido de castigo.

2 Nós vos louvaremos, Senhor, nós vos louvaremos; glorificaremos vosso nome e anunciaremos vossas maravilhas.

Aqui se trata de três hábitos do justo: dar louvor ao Senhor, glorificá-Lo nas ações, e fazer apostolado em todos os ofícios. De modo que essa parte significa mais o apóstolo consagrado do que a pessoa ordinária, que tem um trabalho normal.

3 No tempo que fixei, julgarei o justo juízo.

 
Há um tempo fixado por Deus, são as Eras que o mundo deverá passar, como já sustentamos.

4 Vacile, embora, a terra com todos os seus habitantes, fui eu quem deu firmeza às suas colunas.

A Terra irá tremer, e todos os habitantes também. Para mostrar que foi Deus quem criou o céu e a terra.

5 Digo aos arrogantes: Não sejais insolentes; aos ímpios: Não levanteis vossa fronte, 6 não ergais contra o Altíssimo a vossa cabeça, deixai de falar a Deus com tanta insolência.

 
É bom que não pequem nesse tempo, e antes deste por soberba, vociferando maledicências contra o Senhor.

7 Não é do oriente, nem do ocidente, nem do deserto, nem das montanhas que vem a salvação.

Deus lembra ao homem que nada no mundo pode salvá-lo, isto é, o materialismo não vencerá, só o amor de Deus. Essa parte significa também que não adianta ir ao deserto, montanha ou qualquer lugar no dia do castigo, porque o castigo virá a todos onde quer que estejam.

8 Mas Deus é o juiz; a um ele abate, a outro exalta.

 
Como disse Nosso Senhor, "um será levado, outro deixado". Essa parte do Salmo lembra aquela parte do Evangelho de propósito, para o exegeta fazer a relação.

9 Há na mão do Senhor uma taça de vinho espumante e aromático. Dela dá de beber. E até as fezes hão de esgotá-la; hão de sorvê-la os ímpios todos da terra.

 
O Castigo, ou vingança do Senhor, fará sumir os ímpios da terra.

10 Eu, porém, exultarei para sempre, salmodiarei ao Deus de Jacó.

 
O homem que sabe disso e é justo se penitenciará, e rezará nesse dia. Esse salmo servirá de consolo.

11 Abaterei as forças dos pecadores, e será exaltada a fronte do justo.

 
Naqueles dias,
serão tirado todos os recursos dos ímpios, e os justos serão exaltados na terra. Também se refere ao tempo depois do Castigo, pois essa profecia valerá até a vinda do anticristo.

Próximo: O livro do Apocalipse fala do Castigo Mundial na quinta e na sexta Era