A Escritura e os Doutores da Igreja dizem que Elias e Enoch virão no fim dos tempos na época do Anti-Cristo

Escritura e os Doutores da Igreja dizem que Elias e Enoch virão no fim dos tempos na época do Anti-Cristo (parte 2) 

CLIQUE: Profecias Católicas 

Do livro "O Príncipe dos Cruzados (Vol. I, parte I, 3a edição)".

Quais são as evidências que Enoch virá nos tempos do anti-Cristo?


As partes da Escritura que falam literalmente de Enoch (fora a que menciona a sua genealogia) são cinco:

1. Enoch andou com Deus e desapareceu, porque Deus o levou (Gn 5)

2. Ninguém nasceu no mundo comparável a Henoc, pois ele também foi arrebatado desta terra (Eclo 49, 16)

3. Pela fé Henoc foi arrebatado, sem ter conhecido a morte: e não foi achado, porquanto Deus o arrebatou; mas a Escritura diz que, antes de ser arrebatado, ele tinha agradado a Deus (Hb, 11)

4. Henoc agradou a Deus e foi transportado ao paraíso, para excitar as nações à penitência. (Eclo 44, 16)

5. Também Henoc, o sétimo patriarca depois de Adão, profetizou destes, dizendo: "Eis que vem o Senhor entre milhares de seus santos, a fazer juízo contra todos, e a arguir todos os ímpios de todas as obras da sua impiedade, que impiamente fizeram, e de todas as palavras injuriosas, que os pecadores ímpios tem proferido contra Deus". (Jd 1, 14)

Conclusão:

Enoch foi arrebatado para algum lugar (1,2,3,4) onde está vivo, isto é, não conheceu a morte (3). Esse lugar não é conhecido (3), e é chamado de paraíso (4). Enoch também era profeta e agradou a Deus (5). Suas profecias se inserem no contexto que S. Judas Tadeu dá (5), e a razão de seu arrebatamento é excitar as nações à penitência (4).

É óbvio, pela carta de São Judas, que se trata de homens perversos que virão ainda, e nisso fica a missão de Enoch para frente, quando irá "excitar as nações à penitência".

Quais são as evidências que Elias virá nos tempos do anti-Cristo?

1. Falando de Elias: "que foste arrebatado ao céu em redemoinho de fogo, em carroça tirada por cavalos ardentes; tu, de quem está escrito que no tempo dos julgamentos virás para abrandar a ira do Senhor, para reconciliar o coração dos pais com os filhos, e para estabelecer as tribos de Jacó" Eclo 48

2. "ardendo em zelo pela lei, foi arrebatado ao céu" 1 Mc 2

3. "Porque eis que vem o dia, ardente como uma fornalha. E todos os soberbos, todos os que cometem o mal serão como a palha; este dia que vai vir os queimará - diz o Senhor dos exércitos - e nada ficará: nem raiz, nem ramos. Mas, sobre vós que temeis o meu nome, levantar-se-á o sol de justiça que traz a salvação em seus raios. Saireis e saltareis, livres como os bezerros ao saírem do estábulo. Pisareis aos pés os ímpios, os quais serão pó, sob a planta de vossos pés, no dia em que eu agir - diz o  Senhor dos exércitos. Lembrai-vos da Lei de Moisés, meu servo, a quem prescrevi ordenações e mandamentos para todo o Israel no monte Horeb. Vou mandar-vos o profeta Elias, antes que venha o grande e temível dia do Senhor, e ele converterá o coração dos pais para os filhos, e o coração dos filhos para os pais, de sorte que não ferirei mais de interdito a terra." Mal 4

3. Falando de São João Batista, Nosso Senhor disse: "E, se quereis compreender, é ele o Elias que devia voltar. Quem tem ouvidos, ouça." Mt 11

4. "Em seguida, os discípulos o interrogaram: Por que dizem os escribas que Elias deve voltar primeiro? Jesus respondeu-lhes: Elias, de fato, deve voltar e restabelecer todas as coisas. Mas eu vos digo que Elias já veio, mas não o conheceram; antes, fizeram com ele quanto quiseram. Do mesmo modo farão sofrer o Filho do Homem. Os discípulos compreenderam, então, que ele lhes falava de João Batista." Mt 17

Conclusão: 

Foi arrebatado ao céu (1, 2, e o IV livro dos Reis, capítulo 2). Voltará no fim dos tempos (1, 3), antes da segunda vinda de Cristo (1, 3, 4), para converter as nações (1, 3).

Além disso, ele vai "estabelecer as tribos de Jacó" (1), mas S. Tiago diz no primeiro capítulo de sua epístola que as tribos estavam em dispersão, logo, Elias não poderia ter sido simbolizado totalmente por S. João Batista, então, só voltará no fim do tempos para converter os judeus.

Cremos, também, que há uma prévia da conversão dos judeus antes dos últimos tempos com S. Elias: a restauração da Igreja com as prefiguras de Elias e de Enoch: o Papa Santo e o Grande Monarca, conforme mostramos em vários capítulos adiante.


Provas conforme a exegese da Escritura

"Eis que vos enviarei o profeta Elias". Segundo o Pe. Cornélio A Lápide, a profecia fala do juízo final, e Elias significa o mesmo profeta do antigo testamento. Acreditamos que em um plano de interpretação está correto, conforme nossa própria exegese em outros artigos. Portanto, em relação ao juízo final, o jesuíta capta a verdade profetizada, embora, quando Elias é citado como prefigura em outros eventos apocalípticos, sua citação requeira outra interpretação. 

As razões que o Pe. Cornélio dá são:

"1º) Porque os Setenta chamam a este Elias de Tesbita, assim como consta nos Códices do Vaticano e em outros, de modo que é de se admirar que falte o Tesbita nos livros dos Reis. Ver também a versão árabe, que diz: "Eis que vos enviarei Elias Tesbita, antes da vinda do dia terrível do Senhor". Portanto, aqui se fala do verdadeiro Elias. Aliás, João Batista não era tesbita.

2º) Porque Elias será então precursor da segunda vinda de Cristo, para o Juízo final; este será o "dia grande e horrível do Senhor". São João Batista, porém, precedeu o primeiro advento de Cristo ao mundo.

3º) Porque quando Elias vier, virá também Cristo para ferir a terra com anátemas, como indica o Profeta [Malaquias] no último versículo. Contudo, isso se dará no segundo advento. Pois, no primeiro, veio para salvar o mundo e não para perdê-lo ou feri-lo.

4º) Aludindo a esta passagem, assim explica o Eclesiástico, cap. 48, 10, dizendo: "Tu, de quem está escrito que no tempo dos julgamentos virás para abrandar a ira do Senhor, para reconciliar o coração dos pais com os filhos, e para restabelecer as tribos de Jacó". E Nosso Senhor em Mat. 17, 11: "Elias certamente há-de vir (antes da minha segunda vinda) e restabelecerá todas as coisas (...).

Ao argumento tirado dos vers. 10 e ss. do cap. 17 de São Mateus, respondo dizendo que Elias e João Batista são e serão semelhantes na missão, no zelo, na pregação e na santidade. João foi precursor de Cristo na sua primeira vinda; Elias será precursor na segunda vinda de Nosso Senhor. Por isso, aquele toma o nome deste, a quem figura. Com efeito, João Batista é chamado Elias, não em pessoa, mas por causa da semelhança de virtude e de espírito, como diz o anjo Gabriel: "E ele o precederá com o espírito e a virtude de Elias" (Luc. I, 17).

Nosso Senhor Jesus Cristo distingue dois Elias. Um ao pé da letra, quando diz: "Elias verdadeiramente virá e restabelecerá todas as coisas". Outro, figurativamente, ou seja, São João Batista, do qual diz: 'Elias já veio' (...).

"E ele converterá o coração dos pais aos filhos". Em hebraico converterá é hosceb, fará retornar. O que significa que Elias fará retornar aos filhos o coração, a mentalidade, a fé e a devoção de seus pais. Hosceb refere-se a Tisbi, Tesbita. Com efeito, Elias em hebraico é o mesmo que "meu Deus". Tisbi significa volta à penitência, emenda e restauração, como se se dissesse: Elias, de acordo com o seu nome e sua pátria, será o Tesbita, porque converterá a Deus o coração do seu povo. Por isso, restabelecerá e restaurará todas as coisas na sua integridade. É o que comenta São Jerônimo. É também o que diz Nosso Senhor: "Elias virá e restabelecerá todas as coisas" (Mt. 17). E no Eclesiástico: "Elias virá reconciliar o coração dos pais com os filhos, e para restabelecer as tribos de Jacó" (48, 10). Ou seja, virá restabelecer na prístina fidelidade de seus antepassados as doze tribos apóstatas da antiga e verdadeira fé dos patriarcas, as quais se espatifaram e se dispersaram por causa de sua cegueira e sua perfídia.

Contudo, poder-se-á apresentar contra o que foi exposto o seguinte [versículo de Malaquias]: "E o coração dos filhos a seus pais". Ademais, Elias não transferiu o coração, ou seja, a mentalidade e a devoção dos filhos aos seus pais, uma vez que estes já estavam mortos. Respondo dizendo que o sentido é: Elias "converterá o coração dos filhos ao de seus pais", ou seja, fará com que o coração - a mentalidade, a fé - dos judeus consone e adira ao coração - à mentalidade, à fé - de seus pais (...).

Portanto, quando Nosso Senhor diz "Elias restabelecerá todas as coisas", isso significa que haverá então uma pingente conversão. Para tal, Elias fará as pazes entre judeus e gentios, durante tanto tempo discordes, unindo-os numa única aliança na fé e na Igreja de Cristo. Ademais, Elias com seu zelo apostólico restaurará todas as coisas na alvura e no esplendor primevo, que aureolaram a Igreja no tempo dos Apóstolos, a fim de que a Religião católica e a santidade refuljam e corusquem maravilhosamente em todas as partes" [1].

"E darei às minhas duas testemunhas o poder de profetizar, revestidos de saco, durante mil, duzentos e sessenta dias (Ap 11, 3) (...) serão duas as testemunhas, quanto porque, pelo direito divino e dos povos "não valerá contra alguém uma só testemunha; tudo será verificado sobre o depoimento de duas ou três testemunhas" (Deut. 19, 15),  quanto porque Cristo enviou os Apóstolos, de dois em dois, a pregarem. E estas testemunhas serão apóstolos de Cristo. Ademais, elas fazem alusão aos dois querubins postados juntos da arca do testemunho, sustentando o propiciatório. De mesmo modo, estes dois, com seu testemunho, sustentarão a arca - a Igreja - e o propiciatório - a fé em Cristo, propiciador e redentor do mundo. Finalmente, porque Enoch representa a vocação dos Patriarcas e a lei natural, e Elias a vocação dos Profetas e a lei mosaica, e por meio deles estarão representadas, no Juízo final, a lei e a profecia, assim todos os patriarcas e profetas dos séculos passados darão testemunho de Cristo contra o Anticristo" [2].


-----------------------------------------------------
[1] Comentário ao livro de Malaquias, Cap.IV., Pe.Cornélio A Lápide, S.J. Traduzido por Renato M. Vasconcellos.
[2] Comentário ao livro do Apocalipse, Cap.11. Pe.Cornélio A Lápide, S.J. Traduzido por Renato M. Vasconcellos.