O profeta Jeremias fala de um Castigo universal para os homens e para os sacerdotes, A terra será devastada

Essa interpretação seguirá assim: texto bíblico e abaixo o comentário. Em negrito os tópicos mais importantes.

Jeremias, cap.25, 27-37

27 Dir-lhes-ás, então, o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel: Bebei, embriagai-vos, vomitai, e caí para não mais vos levantardes sob o gládio que envio contra vós.

O Senhor castigará aqueles que se embriagaram nas iniquidades daquela época.

28 Se recusarem tomar a taça de tuas mãos para beber, isto lhes dirás: eis o que me disse o Senhor dos exércitos: Haveis de bebê-la. 

A taça representa o furor Divino, não podem os ímpios recusarem ela no dia do castigo, tomarão a força.

29 É pela cidade, onde meu nome foi invocado, que começo a punir; e vós, estaríeis isentos do meu castigo? Não, não sereis poupados, pois que farei vir a espada sobre todos os habitantes da terra - oráculo do Senhor dos exércitos.

O castigo começará não só pela cidade onde o nome Divino foi invocado, que nos parece ser Roma, sede das invocações, e também poderá significar a França, por exemplo, porque ela é a primogênita da Igreja. Esse castigo virá para toda a terra. Em outro significa é claro, a Igreja e o clero progressista, que será castigado primeiro.

30 E assim profetizarás: Ruge o Senhor do alto do céu, e de sua morada santa faz ouvir a sua voz. Ruge contra o seu rebanho, um canto semelhante aos pisadores de uva será cantada contra todos os habitantes da terra.
Novamente se fala de um castigo mundial. A morada santa poderá significar o próprio Vaticano, com a vinda de um Papa Santo que imporá reformas, como diz revelações particulares.


A guerra mundial faz parte do castigo, e também os flagelos naturais

31 Estende-se o tumulto até os confins do mundo, porque o Senhor entra em juízo com as gentes, ele mesmo é o que julga toda a  carne. Entreguei os ímpios à espada, diz o Senhor.
A confusão ocorrerá em todo o planeta. Provavelmente aqui se refere a uma guerra mundial.

32 Eis o que diz o Senhor dos exércitos: eis que o flagelo vai estender-se de nação em nação. E dos confins da terra vai desencadear-se violenta tempestade.
Castigos de ordem natural, e guerras entre nações.

33 Aqueles que o Senhor nesse dia tiver entregado à morte naquele dia ficarão estendidos de uma a outra extremidade da terra, não serão chorados, nem recolhidos e sepultados, jazendo no solo qual esterco.

Os castigados servirão de contra-exemplo para todos os homens depois do Castigo, eles nem serão sepultados.

34 Brami, pastores, gritai, cobri-vos de cinza, chefes do rebanho. Porque estão cumpridos vossos dias, em que haveis de ser mortos, ficareis dispersos, caireis como vasos preciosos.
35 Não haverá mais refúgio para os pastores, nem salvação para os chefes do rebanho. 36 Ouvi os gritos dos pastores, e os bramidos dos chefes do rebanho, porque o Senhor lhes devasta os pastos.
 
Os sacerdotes, chefes do rebanho, serão castigados severamente. O castigo é culpa deles principalmente, ainda mais nesta época de crise.

 37 Na placidez dos campos reinará um triste silêncio, à vista da cólera fervente do Senhor. 38 O Senhor deixou como leão o seu retiro, em ermo foi convertida a terra, diante da ira da pomba e diante da indignação do Senhor.


A terra será devastada.