S. Hildegarda von Bingen profetiza II: a restauração, a conversão dos pagãos, depois de guerras e sinais

Santa Hildegarda von Bingen (1098-1180), rogai por nós!

Do livro "O Príncipe dos Cruzados (Vol. I, parte I, 3a edição, Capítulo V)".

Continuação do artigo anterior:

S. Hildegarda von Bingen profetiza I: no tempo do avanço tecnológico, laicismo, decadência dos costumes, e então o castigo tremendo

Liber Divinorum Operum, terceira parte, quinta visão.

Os negritos são nossos, o resto é da Santa.


Deus estabeleceu uma ordem de que o mundo terá que alcançar o auge da cristandade

XXIII.
(...) E ainda diz o Filho, dirigindo-se ao Pai: "Lembra-te que a plenitude que havia no princípio não deveria ter sido secada, porque no princípio do mundo previste seu fim e não as entregaste ao esquecimento, como entregarás ao esquecimento os que se encaminham à perdição. Também lembra-te que a plenitude das gerações dos homens, que foram previstas no principio dos tempos e que no primeiro homem foram postas à prova, não tem que esgotar-se nunca, nem diminuir, já que teu desejo não foi que a geração dos homens tenham término antes do tempo estabelecido por Ti. E também por isso, quando criaste os homens, decidiste em teu coração que os teus olhos, isto é, tua ciência, que previu a plenitude de todas as coisas e as dispôs retamente, não se apartará nunca da ordem que estabeleceste, quer dizer que o homem, apesar de suas desordens, não perecera nunca completamente, nem no mundo faltasse até que vejas o meu corpo com seus membros cheios de pedras preciosas, já que dispuseste que os fiéis sejam meus membros, a saber, perfeitos em tudo os que creem em ti por minha causa e te adoram resplandecentes como pérolas de virtudes.


Castigo da nuvem densa sobre os inimigos da Igreja. Indica os dias de trevas profetizados por outros nesse capítulo?

 
Naquele tempo, quando o povo cristão se prontificar a fazer de novo penitência e se flagelar com muitos castigos por seus próprios pecados, a graça divina virá em seu socorro com muitos milagres, como fez com seu antigo povo e, derrotados os inimigos, uma grande multidão de pagãos se converterá a fé.

XXIV. E por fim, quando aquelas gentes incrédulas e malvadas invadirem por todas as partes as terras e possessões da Igreja, quando busquem todos os modos de destruí-la e exterminá-la, como os abutres e os gaviões apertam suas presas debaixo das asas e das garras, e quando o povo cristão tentar resistir com armas, sem temer a morte do corpo, depois de ser submetido à penitência de todas as maneiras para pagar por seus pecados, virá do norte um vento espesso acompanhado de uma nuvem densa, com um denso pó, e soprará contra eles como o executor do juízo divino, de forma que suas gargantas se encherão da nuvem e seus olhos do pó, até que eles renunciem a sua ferocidade golpeados com um torpor extremo.


Deus fará milagres em defesa dos cristãos, se converterão muitos pagãos
 
Então a santa divindade fará no povo cristão sinais e milagres, como fez com Moisés na coluna de nuvem e como o Arcanjo Miguel combateu em defesa dos cristãos contra os infiéis, e deste modo, os fiéis filhos de Deus, protegidos por Ele, se lançarão sobre os inimigos e os vencerão com a ajuda da força divina, matando uns e expulsando outros para fora dos confins da terra. Como consequência, una multidão imensa de pagãos se unirá aos cristãos na verdadeira fé, aclamando-os com estas palavras: "O Deus dos cristãos é o Deus verdadeiro, porque fez neles estes sinais".


A restauração virá
 
E os vencedores, que Deus terá debaixo de sua proteção, louvarão a Deus dizendo:

"Louvamos o Nosso Senhor, Deus nosso, em verdade ele se manifesta em nós, porque somos vencedores em seu nome. Nossa força é o seu louvor, já que em seu nome vencemos os inimigos seus e nossos, porque cremos fielmente nele". E contudo dirão: "Prestemos atenção as palavras de Deus no Evangelho: se lavantarão povos pagãos contra povos cristãos, como assim sucedeu. Portanto, reedifiquemos as cidades e as aldeias que foram destruídas, e as façamos emais fortes e protegidas do que antes, de modo que não venham mais a destruir-nos, tal como estamos agora". E nós terminaremos com todas as forças e com todas as riquezas, com vigor e generosidade.


 ----------------------------------------
[1] Liber Divinorum Operum, terceira parte, quinta visão. Tradução  do espanhol. http://www.hildegardiana.es/32divope/index.html