São João Bosco profetiza castigos contra a França e Roma. Deus lamenta os sacerdotes, mas restaurará tudo com Maria

São João Bosco (1815-1888), rogai por nós!

Clique aqui para ler mais sobre profecias

Beato Holzhauser profetiza a vinda do Papa Santo, do Grande Monarca, e do Grande General, que extirparão as heresias e o islamismo

Revelação a S. João Bosco sobre a punição da imoralidade, do laicismo e, enfim, o triunfo de Maria


Extraído de: "O Príncipe dos Cruzados (Vol. I, parte I, 3a edição, Cap. V)".

Nossos comentários em negrito.

"Na vigília da Epifania deste ano de 1870, senti desaparecerem todos os objetos materiais do meu quarto e me encontrei na contemplação de coisas sobrenaturais. (...) Eis uma ideia do que vi, com a palavra de Deus acomodada à palavra do homem. (...)

As leis da França já não reconhecem o Criador e o Criador, se dará a conhecer e a visitará três vezes com o açoite do seu furor.

Três Castigos virão sobre a França. Desde aquela data, ocorreu a Comuna de Paris, a guerra franco-prussiana, e na segunda guerra a França foi tomada pela Alemanha. No entanto, acreditamos que três castigos ainda estão por vir, e esses foram só prefiguras, pois veremos a seguir diversos detalhes não cumpridos da profecia.

Na primeira, humilhará sua soberba com derrotas, com o saque, com a destruição de suas colheitas, de seus animais e de seus homens.

1. Será saqueada.

Na segunda, a grande prostituta da Babilônia, aquela que os bons chamam gemendo o prostíbulo da Europa, será privada do seu chefe e tomada pela desordem.

Paris... Paris...! Em vez de te armar com o nome do Senhor, tu te rodeias de casas de imoralidade. Estas serão destroçadas por ti mesma. Teu ídolo será reduzido a cinzas, para que se cumpra que “mentita est iniquitas sibi” [a iniquidade se enganou a si mesma]. Teus inimigos te cercarão e te trarão a fome, o terror e a abominação das nações. Mas, ai de ti se não reconheceres a mão que te golpeia! Quero castigar a imoralidade, o abandono, o desprezo da minha lei, diz o Senhor.

2. O chefe da França será castigado e retirado. A imoralidade estará no auge nesse momento. As nações estarão em guerras, na França haverá fome por causa disso.

Na terceira, cairás em mãos estrangeiras. Teus inimigos verão de longe teus palácios envoltos em chamas, tuas habitações convertidas num amontoado de ruínas, banhadas com o sangue dos teus valentes, que já não terão vida.

3. Será tomada pelo estrangeiro, e será convertida toda em ruína, sangue.

Mas eis que surge um grande guerreiro do Norte, levando um estandarte, e na destra que o empunha está escrito: ‘Irresistível é a mão do Senhor’

O grande guerreiro é o grande Monarca, vindo destas regiões, segundo outras profecias.

Naquele instante o venerável Ancião do Lácio saiu a seu encontro agitando uma tocha flamejante. Então o estandarte se dilatou e, de negro que era, tornou-se branco e resplandecente como a neve. No meio do estandarte apareceu escrito, em caracteres de ouro, o nome de quem tudo pode.

O guerreiro, com os seus, fez uma profunda reverência para o Ancião e apertaram-se as mãos.

O Ancião do Lácio (região da Itália onde fica Roma também) foi conectado ao Papa Pio IX, prefigura do Papa Santo. Acreditamos ser melhor representado pelo Grande General, pois tem um estandarte, que estava negro e se tornou branco, isto é, o estandarte dos apóstolos dos últimos tempos estava de luto, mas agora voltou ao puro original. O fato de ser do Lácio remete ao seu ofício: estar ao lado do Bispo de Roma, o Papa Santo, e ser um sábio, um ancião ao seu serviço.

 
Agora a voz do céu é para o Pastor dos Pastores: Tu estás na grande conferência com os teus assessores, mas o inimigo do bem não tem um instante de repouso, estuda e põe em pratica todas as artes contra ti. Semeará a discórdia entre os teus assessores, criará inimigos entre teus filhos. As potências do mundo vomitarão fogo e gostariam que as palavras fossem sufocadas na garganta dos defensores da minha lei. Isso não acontecerá. Farão o mal, mas o mal a si mesmos. Tu, apressa-te: se as dificuldades não se resolvem, passa por cima delas. Se te encontras em dificuldades, não te detenhas, prossegue até que se tenha cortado a cabeça da hidra do erro. Esse golpe fará tremer a terra e o inferno; mas o mundo estará a salvo e todos os bons se alegrarão.

Reúne em torno de ti ainda que apenas dois assistentes, mas seja aonde fores, continua e termina a obra que te foi confiada.

Os dias correm velozes, teus anos se acercam do número determinado, mas a grande Rainha será sempre a tua ajuda, e como nos tempos passados, assim como no futuro será sempre magnum et singulare in Ecclesia praesidium. [grande e única na proteção da Igreja]

Um dos motivos da divisão acima é que, agora sim, a profecia se refere ao Papa. Seus próximos tramam contra ele, claro, por causa da missão de restaurar a Igreja. Os dois assistentes são exatamente as outras pessoas principais, o Monarca e o General. 

Mas tu, Itália, terra de bênçãos, quem a pôs na desolação...? Não digas que foram os inimigos, mas teus próprios amigos. Não ouves que teus filhos pedem o pão da fé e não encontram quem lho reparta? Que farei? Golpearei os pastores, dispersarei o rebanho para que os sentam na cátedra de Moisés procurem boas pastagens e a grei ouça com docilidade e se apascente.

Mas sobre o rebanho e sobre os pastores pesará minha mão. A fome, a peste e a guerra farão com que as mães chorem o sangue de seus filhos e de seus maridos mortos em terra inimiga.

Deus golpeará os pastores, dispersará o rebanho para que eles saibam qual é a verdadeira pastagem.

E de ti, ó Roma, que será? Roma ingrata, Roma efeminada, Roma soberba! Chegaste a tal ponto que não admiras em teu soberano senão o luxo, esquecendo que tua glória e a dele está sobre o Gólgota. Agora ele está velho, doente, indefeso, despojado de tudo; sem embargo, com sua humilde palavra ainda faz tremer o mundo. Roma! Virei quatro vezes sobre ti.

Deus se incomoda com os pecados na Igreja, é a Crise na Igreja, principalmente o homossexualismo dentro dela, por isso "Roma efeminada".

Na primeira castigarei tua terra e teus habitantes. Na segunda, levarei a ruína e o extermínio até tuas muralhas. E ainda não abres os olhos? Virei a terceira vez e derrubarei as defesas e os defensores e ao domínio do Pai será sucederá o reinado do terror, do espanto e da desolação.

Mas os meus sábios fogem, minha lei continua sendo pisada; por isso farei a quarta visita. Ai de ti se minha lei ainda for uma palavra vã para ti! Dar-se-ão prevaricações entre os doutos e os ignorantes. O teu sangue e o sangue de teus filhos lavarão as manchas feitas por ti na lei do teu Deus.

A guerra, a peste e a fome serão os flagelos com que será castigada a soberba e a malícia dos homens. Onde estão, ó ricos, vossas grandezas, vossas mansões, vossos palácios? Tornaram-se o lixo das praças e das ruas.

Quatro grandes castigos virão: da terra ou fome, da destruição das cidades, o terror causado pela indefesa do povo, que pode ser um tipo de peste e, enfim, a morte da maioria dos habitantes. Então serão destruídos os ricos revolucionários.

E vós, ó sacerdotes, por que não correis a chorar, entre o vestíbulo e o altar, invocando a suspensão dos flagelos? Por que não tomais o escudo da fé e subis aos telhados, vais às casas, às ruas, às praças, a todos os lugares, mesmo os inacessíveis, para levar a semente da minha palavra? Ignorais que essa é a terrível espada de dois gumes que abate os meus inimigos, que rompe a ira de Deus e dos homens?

Essas coisas deverão acontecer inexoravelmente, uma depois da outra.

Deus lamenta os sacerdotes.

Mas a Augusta Rainha dos Céus está presente.

O poder de Deus está em suas mãos, dissipa como névoa a seus inimigos. O venerando Ancião está revestido de todas as suas antigas vestimentas.

Nossa Senhora vencerá, e colocará o General, ou o Ancião, nas suas antigas vestimentas porque ele representará o ofício de profeta como era antigamente, no Antigo Testamento, e como era com o seu mestre, Dr. Plinio, chefe e fundador dos apóstolos dos últimos tempos, conforme mostramos.

Sobrevirá ainda um furacão violento.

Esse furação entendemos como os dias de escuridão, porque depois a iniquidade se consome, isto é, o pecado das nações tem fim.

A iniquidade está consumada, o pecado terá fim e, antes que transcorram dois plenilúnios do mês das flores, a íris da paz aparecerá sobre a Terra.

Então virá a restauração antes de dois sinais no céu, que pela interpretação literal da profecia seriam duas luas cheias no mês das flores (chamada também de lua azul. Já o mês das flores é o mês principal da primavera, Maio). Desde a profecia ocorreram ao todo seis em 1874, 1912, 1931, 1950, 1969 e 1988. As próximas três virão em 31 de maio de 2026, depois em 2064 e 2072. Dado que 2026 é a sétima lua azul desde a profecia, e são sete os castigos que até agora não foram realizados por completo, a harmonia aponta mais a essa data, mas não descartamos datas futuras, ou mesmo uma lua azul miraculosa. Essa data também tem maior beleza: 30 anos do falecimento de Plinio Corrêa de Oliveira, o qual mostramos na parte 2 ser o profeta por excelência do Reino de Maria, e 30 anos é a idade de ocultamento de Nosso Senhor. É mais belo o Reino de Maria vir quando seu profeta principal completar seu tempo de ocultamento, então reconhecido como tal. Isso não quer dizer que ele levantará do túmulo, pois "ele" aqui significa a sua memória e espírito.

O grande Ministro verá a esposa do Rei vestida de festa.

Em todo o mundo aparecerá um sol tão luminoso como nunca se viu desde as chamas do Cenáculo até o dia de hoje, nem se voltará a ver até o último dia”. [1]

A esposa do Rei é a Virgem Maria, esposa do Espírito Santo. Ela está vestida para comemorar, porque o Reino dEla chegou. O sol luminoso é a Igreja, tão maravilhosa no Reino de Maria, que só será superada pela Igreja Triunfante no "último dia".

---------------------------------
[1] Pg.43-48, Profecias de São João Bosco, Ed.Artpress, que tem como fonte G. B. Lemoyne, Memorie Biografiche di Don Giovanni Bosco, e Pe.Rodolfo Fierro, Biografía y escritos de San Juan Bosco (BAC, Madrid, 1955)