Dr.Plinio prevê a fusão do comunismo com o nazismo no pacto Ribbentrop-Molotov pouco tempo antes

Escreve Larrain Campbell [1] que “Quando foi conhecida na França e na Grã-Bretanha, no mês de agosto de 1939, a assinatura do pacto de aliança germano-soviética, triunfo da diplomacia de Berlim, a opinião pública foi traumatizada. (...) O pacto germano-soviético surpreendeu a diplomacia ocidental em 1939” [2]

Plinio noticiava já a relação meio contraditórias entre as ideologias em 1938

“O primeiro foi o reatamento das relações diplomáticas entre a Alemanha e a Rússia, que vinham sendo muito regulares e que se tornaram normais. Moscou tem hoje seu embaixador ariano, assim como Berlim o seu embaixador russo (...)

Porque a verdade é esta: se bem que Hitler pregue contra o comunismo e se apresente como defensor da civilização européia contra esse mal, sua atitude em relação ao governo soviético difere fundamentalmente dessa propaganda e, apesar de todos os seus discursos inflamados, ele tem feito muitas ofertas interessadas e amistosas a Moscou” [3]

“A nosso ver, 1939 assistirá à consumação dessa fusão [nazismo e comunismo]”

1° de janeiro de 1939

“Efetivamente, enquanto todos os campos se definem, um movimento cada vez mais nítido se processa. É a fusão doutrinária do nazismo com o comunismo. A nosso ver, 1939 assistirá a consumação dessa fusão” [4]

Muitos consideravam inverossímil a aliança, mas não “O Legionário”

14 de maio de 1939

“A nota mais curiosa do noticiário da semana passada foi fornecida, sem dúvida, pelos rumores insistentes sobre uma aproximação teuto-russa.

À primeira vista esta versão tem contra si fortes possibilidades (...) Dada a campanha espetacular que o nazismo e o comunismo dirigem um contra o outro, seria deveras surpreendente que ambos se reconciliassem.

Os observadores menos superficiais, entretanto, não consideram tão inverossímil essa hipótese.

Em primeiro lugar, nenhuma pessoa medianamente culta poderá negar a inteira afinidade ideológica existente entre o totalitarismo e o comunismo”. [5]

Com a surpresa de muitos, O Legionário reafirma sua tese e se mostra correto

14 de janeiro de 1940

“Um aperto de mão histórico — A assinatura do pacto entre o nazismo e o comunismo espantou grande número de pessoas. Daí a surpresa de muitos leitores ante a cordialidade risonha e afetuosa do aperto de mão trocado, como acima se vê, entre Ribbentrop e Stalin logo depois de assinado o acordo. O ‘Legionário’ entretanto previu o acontecimento com uma longa antecedência” [6]


CLIQUE: Plinio Corrêa de Oliveira e suas Profecias 
---------------------------------
Fontes:
[1] “Catolicismo” n° 532, Abril de 1995
[2] Historama”, Paris, n° 280, p. 97
[3] Plinio Corrêa de Oliveira, Alemanha e Rússia trocam carícias, “O Legionário”, 28-8-38.
[4] Plinio Corrêa de Oliveira, Entre o passado e o futuro, “O Legionário”, 1-1-39.
[5] Plinio Corrêa de Oliveira, seção 7 dias em revista, “O Legionário”, 14-5-39.
[6] Plinio Corrêa de Oliveira, seção 7 dias em revista, “O Legionário”, 16-6-40.