Dr.Plinio tem seu profetismo reconhecido pelos seus inimigos sobre a influência na revolução de 64

Décadas depois do regime militar, podemos ver quanto no fim aquilo tudo conspirou para o atual vitimismo dos que queriam implantar uma ditadura do proletariado no país, como eles próprios admitem (Vide Vídeo). Terroristas famosos saíram como heróis, e uma terrorista foi eleita presidente da república. A recém-criada "Comissão da verdade", feita para "investigar os crimes da ditadura", inclusive chegou a publicar várias calúnias contra a TFP em relação à época. Incluímos aqui as alegações dela depois de CM (Comissão da mentira), e respondemos com V (verdade).

Dr.Plinio tem seu profetismo reconhecido pelos seus inimigos sobre a influência na revolução de 64

CM: "A TFP teria, também, um papel importante na organização das marchas católicas que pediram o fim do governo João Goulart, conhecidas como Marcha com Deus pela Família e pela Propriedade, as quais ocorreram antes e depois do golpe (...) outros grupos de civis e militares conspiravam para depor o presidente João Goulart em diversos pontos do país, sem grande articulação, agrupando basicamente o pensamento anticomunista de origem religiosa, em grupos de orientação conservadora como a Sociedade Brasileira em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), fundada pelo intelectual católico Plínio Correa de Oliveira, em 1960"  [1].

V: Ela não participou na Marcha, nem a começou, por ordem do próprio Plinio Corrêa de Oliveira, apesar de ser um grupo anti-comunista. Os membros antigos atestam isto.

A TFP sempre desejou o estabelecimento da Civilização Cristã mas nunca articulou nenhuma manobra política para depor Jango, mas fez campanhas defendendo os ideais cristãos. Se isso é conspirar, então conspirou. De fato, Dr.Plinio admitia que a TFP criou o ambiente de descontentamento com o comunismo e o Jaguismo, e teve influência decisiva na queda de João Goulart. Uma atitude realmente profética que comentou o escritor católico em um reunião sobre uma notícia do Estado de S.Paulo (OESP):

"A
 Providência quis que dos lábios dos nossos inimigos saísse hoje o mais formal reconhecimento da profeticidade da ação da TFP no que diz respeito à reforma agrária (...)".

"Diz o “OESP” aqui, é sobre a morte do Jango. Já aí a coisa é curiosa. É no comentário da morte do nosso grande adversário de então, cuja vitória teria importado no fechamento da TFP, não tenham os senhores a menor dúvida a esse respeito. É no momento em que os sinos da estrutura dobram os finados dele, que o nosso adversário toma a tuba e entoa involuntariamente o cântico da nossa glória. O contraste já de si é digno de nota.

Numa hora trágica da vida ele teve a grandeza de alma de se retirar, evitando ao Brasil o banho de sangue, afirmou o arcebispo Dom Geraldo Maria de Proença Sigaud, arcebispo de Diamantina, ao tomar conhecimento da morte de João Goulart.

Em primeiro lugar, o comentário mole, impreciso, errado de Dom Sigaud a respeito do Jango. Quer dizer, ele se retirou, etc., etc. (...) Quem afirmou isto? Quem deu a prova de que ele tinha meios de resistências? Porque teria grandeza de alma dele, se ele tivesse meios de resistências comprovados e não tivesse resistido para evitar ao Brasil um banho de sangue.

... principalmente na célebre questão da reforma agrária.

Destaco aqui a palavra célebre. Os senhores estão vendo a questão da reforma agrária para o “OESP”, notem que é o “OESP” que fala. Uma notícia sem assinatura, ou um artigo sem assinatura corre pela responsabilidade do jornal, é diretamente o diretor do jornal o responsável. A questão da reforma agrária é uma questão célebre. A TFP esteve metida numa questão célebre. De que maneira ela esteve metida nessa questão célebre?

Na opinião do arcebispo, autor do livro Reforma Agrária – Questão de Consciência, que contribuiu, decisivamente para a revolução de 64".

O livro na verdade foi escrito por Dr.Plinio e o economista Luiz de Mendonça. Somente foi assinado pelos Bispos. Os outros autores não são mencionados. Nesta parte o Jornal proclama involuntariamente a ação profética da TFP na sociedade.

"Ou falo bessarábio e não português, ou a coisa que estou dizendo é a mais clara do mundo. A afirmação do jornal então esse é o livro. Depois não é um dos livros, não. É o livro que contribuiu decisivamente para a revolução de 64.

Não é o livro que fez a revolução de 64, há outros fatores além do livro. Ele tem toda razão, mas é o livro que contribuiu. Contribuiu com o que? Entrou em conjugação com outros fatores, mas contribuiu decisivamente. Sem ele nada teria decidido, não teria havido nada. Isso é o que se chama uma contribuição decisiva.

Esse livro contribuiu decisivamente para a revolução de 64. Como toda história do Brasil está marcada, nos últimos 15 ou 16 anos, pela revolução de 64, os senhores estão compreendendo muito bem que esse livro contribuiu para que a história do Brasil tomasse o rumo que tomou.

Notem a profundidade de ação do livro. O livro foi publicado em 1961. A revolução ocorreu 3 anos depois desse livro. O livro ficou preparando o seu próprio efeito durante 2 anos e tantos. Para um livro, 2 anos e tanto depois de publicado, contribuir decisivamente para uma revolução é porque a ação foi bem profunda" [2].

Clique aqui para ver mais sobre Plinio Corrêa de Oliveira e suas profecias

----------------------------------
Fontes:
[1] Relatório Final da Comissão da Verdade, Volume II, Pgs.308
[2] Reunião do Santo do Dia, 4 de Dezembro de 1976, Sábado