Questão Teológica: se há vida (inteligente ou não) orgânica extra-terrestre

Cristo rei do Universo
-Se pode haver Igreja Católica em outros planetas

Não pode haver outro sucessor de São Pedro, isto é claro ensinamento da Igreja, o Papa é um só, e por isso não há Igreja Católica fora da terra. “Mas Deus, que é nosso Rei antes dos séculos, operou a salvação no meio da terra”, Sl 73, 12. Ou seja, a salvação para a alma está na terra e não nos outros planetas, isso é claro também pela instituição da Igreja por Nosso Senhor.

-Se há ET com forma humana com pecado original (descendente de Adão)


Nosso Senhor ordena a pregação por toda a terra (Mc  16, 15), não em outros planetas, o que equivale a dizer que ou não existe extra-terrestre (ET) ou eles não precisam, isto é, não possuem pecado original. Da segunda podemos tratar duas hipóteses: eles tem forma humana ou não, da qual a primeira nos interessa saber se eles são descendentes de Adão ou não.

-Se há ET com forma humana sem pecado original e não descendente de Adão


A Igreja recomenda o batismo e a Santa religião a todos os homens, e se há algum sem pecado Nosso Senhor não redimiu a todos conforme a Doutrina (Nossa Senhora faz parte do gênero humano, mas não foi remida porque ante previsa merita, isto é, pelos méritos de Cristo ela foi concebida sem pecado original. Ou seja, a redenção dela por Cristo foi diferente, foi profética, pelos méritos futuros).


Pio XII condena a tese de que Adão seria o conjunto dos primeiros pais, ou haveria na terra homens não descendentes dele:

"37. Mas, tratando-se de outra hipótese, isto é, a do poligenismo, os filhos da Igreja não gozam da mesma liberdade, pois os fiéis cristãos não podem abraçar a teoria de que depois de Adão tenha havido na terra verdadeiros homens não procedentes do mesmo protoparente por geração natural, ou, ainda, que Adão signifique o conjunto dos primeiros pais; já que não se vê claro de que modo tal afirmação pode harmonizar-se com o que as fontes da verdade revelada e os documentos do magistério da Igreja ensinam acerca do pecado original, que procede do pecado verdadeiramente cometido por um só Adão e que, transmitindo-se a todos os homens pela geração, é próprio de cada um deles" [4].

-Se há ET com forma humana sem pecado original e descendente de Adão


Não é possível pois a Igreja deixa claro que todos os homens a partir de Adão tiveram pecado original, a não ser Nosso Senhor e Sua Santa Mãe. E por isso a Igreja recomenda a todos os homens o batismo. Todos os homens são filhos da ira segundo Efésios 2, 3.

-Se há ET sem forma humana e sem pecado original


Nosso Senhor se encarnou como homem e redimiu pelo seu sangue o gênero humano na terra, então é o gênero humano com sua forma que foi exaltado por Deus, e escolhido para obter a alma imortal, da onde foi possível o Filho de Deus se encarnar. Dizer que há uma outra forma animal com alma imortal é dizer que Nosso Senhor poderia encarnar-se nela, como Ele encarnaria na humana mesmo sem o pecado original. Isto é contraditório com a história da salvação com o homem no centro, e induz a pensar em uma revelação não revelada, oculta há tempos, e separada da Igreja, mas isso é impossível não só porque anula o ensinamento da Igreja como o da Escritura em Apocalipse 22, 18-20: "Eu declaro a todos os que ouvem as palavras da profecia deste livro, que, se alguém lhes fizer acréscimos, Deus o castigará com as pragas escritas neste livro. Se alguém tirar qualquer coisa das palavras da profecia deste livro, Deus lhe tirará a sua parte do livro da vida, da cidade santa e das coisas que estão escritas neste livro".

-Se há plantas e animais (vida orgânica, sendo vida todo ser que tem em si a causa de seu movimento) ET’s

Mesmo raciocínio da justificativa quanto a pregação pelo mundo indicada por Cristo, porque Deus no Gênesis (Gn 1, 29-30) fala da finalidade destas coisas, e esta parte precisa ser considerada no seu sentido literal, pois essa finalidade toca no assunto dos meios para a salvação e ordem do universo. As plantas e animais servem o homem, e se não há homens ET's, não há estas coisas, pois elas teriam sido feitas sem poder alcançar sua finalidade.

Ou seja, não existem ou não há possibilidade de dominá-los (decorre do raciocínio do próximo parágrafo, junto com a impossibilidade de atingir o fim de servir os homens mencionado anteriormente).

Podemos considerar a segunda hipótese, pois se pode argumentar que o “separar a luz das trevas” mencionado em “luzirem sobre a terra, e presidirem ao dia e à noite, e separarem a luz das trevas” (Gn 1, 17-18) é a iluminação da razão através das plantas e animais que estão nesses lugares, e isto inclui o estudo delas, isto é, a possibilidade de observação delas, sem domínio.

Por isso da segunda concluímos que ou nós não conseguimos chegar onde poderíamos dominá-los, ou quando chegamos perto de dominá-los eles desaparecem como algum tipo de ilusão.

Mas ela é falsa por dois motivos: ainda se a excluímos poderíamos interpretar no sentido de iluminação da razão o estudo dos astros, mantendo o sentido do versículo, pois haveria a possibilidade de estudo sobre substâncias inorgânicas neles. E Deus não faria algo inconveniente como um animal ou planta fictícia, que não se pode alcançar, mas existe e é observável, ao mesmo tempo que Ele estipula a finalidade dos animais e plantas em sujeição ao domínio do homem, incluso seu uso material.

É preciso notar também que falamos aqui de vida orgânica e substância inorgânica.

-Refutação completa de todas as perguntas por um princípio só


Estas alternativas todas poderiam ser eliminadas se considerarmos o sentido literal e fidedigno de toda a história da salvação, incluindo tudo aquilo que é relevante para a salvação do homem, como a interação com outras espécies animais e vegetais (isto inclui a interplanetária), e a função dos planetas.

Na função dos planetas se inclui a função das coisas neles em geral porque se a função deles segundo a Escritura é “luzirem sobre a terra, e presidirem ao dia e à noite, e separarem a luz das trevas.”(Gn 1, 17-18) então se encontramos animais ou vegetais por lá que podem servir de alimentos então a história da salvação não é confiável porque estas coisas podem servir ao homem (a Escritura não falou da finalidade completa dos astros), e chegamos ao absurdo de considerar a Escritura incompleta no que tange aos meios para à salvação e a ordem da criação em vista disso. O mesmo raciocínio serve para encontrar seres inteligentes por lá, não mencionados na Escritura.

Dado que todas as plantas da terra e animais da terra foram colocados abaixo do homem e sujeitos a ele (Gn 1, 29-30), mas nada foi dito dos animais e plantas ET’s, chegamos ao problema de antes: o absurdo de considerar a Escritura incompleta no que tange aos meios para a salvação e a ordem da criação em vista disso.

***

Em conclusão, ainda podemos considerar a aparição na terra de ET’s com forma humana ou não, mas quando acontecer saberemos que são demônios disfarçados, e o mesmo se pode dizer dos animais irracionais, e também das plantas em certo sentido, porque sabemos que os demônios podem muito bem fazer um jardim em outro planeta. No entanto podemos considerar, até onde vai nosso estudo, a possibilidade de substância inorgânica (sem vida) presente naqueles lugares, pois o estudo dela favorece a astronomia e a astrofísica, meios legítimos para conhecer a Deus.

A ciência, se encontrar esses modos de vida em outros planetas, a nós caberia dizer que são obras do demônio, e de nada adiantaria provar posteriormente que ali estão por muito tempo, pois os infernais também existem e tramam há muito tempo.


De qualquer forma, sempre que algo estiver em desacordo com as nossas teses, abdicaremos da nossa interpretação da Escritura, mas ainda acreditaremos na infalibilidade dela, isto é, errada é a nossa interpretação.


Fonte: Extraído do livro "O Príncipe dos Cruzados".

Editado: esse artigo foi corrigido gramaticalmente e foi substituído "vida inorgânica" por "substância inorgânica", dado que o autor tinha o último em mente no começo, mas por falha de raciocínio falou de "vida inorgânica", coisa que não existe na ciência moderna. Prova que ele tinha isso em mente é a refutação da existência de plantas, animais, isto é, considerada de modo geral tudo que tem vida (é a causa de seu próprio movimento).