A vinda do Reino de Maria provada pelo Novo Testamento e nas orações da Igreja, baseada em parte nas indicações do Pe. Antônio Vieira

Para entender melhor o artigo, recomendamos:

A vinda do Reino de Maria provada pelos profetas do Antigo Testamento, baseada em parte nas indicações do Pe. Antônio Vieira

A Teologia da História prova a vinda do Reino de Maria, por Plinio Corrêa de Oliveira em 1971.

A vinda do Reino de Maria provada pelo livro do Apocalipse, baseada em parte nas indicações do Pe. Antônio Vieira
 
Clique aqui para ler mais sobre o Reino de Maria 

Nas orações da Igreja

"In primis pro Ecclésia tua sancta cathólica: quam pacificáre, custodíre, adunáre, et régere dignéris toto orbe terrárum" do Canône, nas orações antes da consagração e também na oração do Pai Nosso, "adveniat regnum tuum, fiat voluntas tua, sicut in caelo et in terra". Comenta o Pe.Antônio Vieira que estas são petições do Reino Universal de Cristo na terra. "E pois a Igreja não deve pedir a Deus o que não espera, pois o pedir é próprio do ato da virtude da esperança" [1]

Escritura
 


"O primeiro texto do Testamento novo é aquele que sempre trazemos na boca: Adveniat regnum tuum, fiat voluntas tua, sicut in caelo et in terra. Nas quais duas cláusulas, a segunda é maior explicação da primeira. E depois de pedirmos a Deus que venha terra à terra o seu Reino, isto é, como deixamos declarado, que chegue aquele feliz tempo em que em todo o Mundo reine somente o verdadeiro Deus, e a verdadeira fé, pedimos, em consequência da mesma fé e do mesmo Reino que seja feita a vontade de Deus na terra, assim como se faz no céu" [2].
 
"Por isso também Deus o exaltou e lhe deu um nome que está acima de todo o nome, de modo que, ao nome de Jesus, se dobre todo o joelho no céu, na terra e no inferno, e toda a língua confesse que o Senhor Jesus Cristo está na glória de Deus Pai" Flp 2, 9-11.

"Ele a uns constituiu apóstolos, a outros profetas, a outros evangelistas, a outros pastores e doutores, para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, até que cheguemos todos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito, segundo a medida da idade completa de Cristo, para que não mais sejamos meninos flutuantes, e levados ao sabor de todo o vento de doutrina, pela malignidade dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro" Ef 4, 11-14.

Idade perfeita quer dizer não só a ressurreição, mas a idade perfeita da consumação do Reino de Cristo na terra, tanto é que São Paulo fala depois que assim os homens não serão "levados ao sabor de todo o vento de doutrina", isto é, seitas, etc. A indicação é que então não haverá seitas nesta idade, pois o Cristo teve seu esplendor consumado na terra, e assim o corpo de Cristo, a Igreja, da qual fala o apóstolo, também chegará no seu esplendor nesta terra, como o terá no céu de modo muito diferente depois do juízo.

"Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Foi-me dado todo o poder no céu e na terra", Mt 28, 18. Comenta São Jerônimo: "Se diz todo poder no céu e na terra, porque Aquele que antes só reinava no céu, pela fé dos crentes deveria reinar agora na terra".


----------------------------------------
Fontes:
[1] Defesa, tomo I, Rep.2, q.1, pgs.223 
[2] Defesa, tomo II, q.24, n.439, pg.173