Papa Francisco abala a sacralidade do Papado com piada. Contraste com uma anedota de Pio XII


"Papa Francisco, reze pelo povo brasileiro..."


Responde o Sumo Pontífice mostrando uma teatral desesperança: "Vós não tendes salvação".

"Iiiiih", entendem os fiéis o que está por vir.

"Muita cachaça e pouca oração", e gargalha o Vigário de Cristo junto dos fiéis [1].


***

"Vós não tendes salvação...". Quando a instituição Monárquica, Sacral e Espiritualmente poderosa do Papado era ouvida com veneração e respeito por todo o globo, o Pontífice Reinante, ciente da dignidade de "Príncipe dos Apóstolos", não proferia nada à esmo.

Viesse a frase de São Pio X, seria capaz do brasileiro ouvinte desmaiar ou até morrer de espanto antes da última sílaba de "salvezza (salvação)".

No entanto, saiu dos lábios pontificais do Papa argentino.

Assim, após a primeira parte os circunstantes já entreviam uma piada de arremate, evidente pelo "iiiihh" prévio. E ela veio como justificativa da frase anterior: "muita cachaça e pouca oração". Gargalhadas para os dois lados, e o Papa prosseguiu seu caminho.

O ocorrido foi gravado por
João Paulo Souto Victor, padre de Campina Grande (PB), no dia 26 de maio de 2021, e saiu na imprensa brasileira [2].

Ainda que verdadeira em muitos casos, não ficou a impressão de que se deve rir da negligência própria, e tocar a vida?

O episódio, pelo menos, não impediu a bênção, ainda que
em meio a risos, e Sua Santidade continuou a cumprimentar os fiéis no pátio San Damaso.

Contra acusações sobre insensibilidade a qualquer alegria, como os hereges quakers do passado, é preciso aplicar a vacina da Contra-Revolução tendencial com um contraste do tempo de Pio XII.

O ex-Papa Bento XVI, nas suas Ultime conversazioni [Últimas conversas] (Garzanti Libri, 2016), relata uma anedota sobre a relação entre o Santo Ofício e um antecessor, Pio XII: “Uma vez, um núncio perguntou a Pio XII se, em relação a um certo problema, ele podia fazer do seu jeito, mesmo que, desse modo, não agiria em plena conformidade com as regras. O papa pensou a respeito e depois lhe disse: ‘Você pode fazer. Mas, se o Santo Ofício ficar sabendo, eu não posso protegê-lo’ (risos).” [3].

Em ambos os casos, o do Papa Pacelli e o do Papa Bergoglio, houve algo inusitado. Só em um algo útil foi dito: o olhar atento e disciplinado do Santo Ofício de então, que parecia estar acima do Papa pela sua notória vigilância.

Eis um dos modos pelo qual se conhece a espirituosidade de um dito: a intencionalidade da razão subjacente da anedota.

Assim, entende-se perfeitamente a pergunta: o chiste papal teria sido mais eficaz do que a indicação de uma virtude contrária inspirando a importância da seriedade da vida para um povo dado ao sensualismo e preguiça? Citar os versículos, certamente conhecidos do Sumo Pontífice, "há um leão do lado de fora! – diz o preguiçoso –, eu poderei ser morto na rua!" (Provérbios XXII), e o "o mau proceder, o vinho e o mosto abafam a razão" (Oséias IV) não fariam mais salutar efeito na alma brasileira?

Em nada se acusa o Santo Padre de pecado ou heresia aqui. O contraste existe para quem tem boa vontade em reconhecer sua propensão ao liberalismo, e deste, para o relativismo. Com outros países, inclinados ao excesso de seriedade, a pedagogia deve ser outra.

A seguir, um texto antigo e esclarecedor do contexto psicológico, desde o humanismo e a renascença, que nos levou da gravidade até a incivilidade hodierna. Apesar do título, este trabalho é averso ao espírito cismático que conta o Papa na fileira dos heresiarcas.

"Heresiarcas de hoje e de outrora" - "Catolicismo" Nº 16 - Abril de 1952, Seção "Ambientes, Costumes, Civilizações", Plinio Corrêa de Oliveira


"O ângulo de visão doutrinário em que nos situamos no confronto de hoje é o de Leão XIII em sua profunda e luminosa Encíclica sobre a História, intitulada "Parvenu à la vingt cinquième année".

Ensina o grande Pontífice que todo o progresso do Ocidente cristão jamais teria existido sem a ação sobrenatural da Igreja. Foi Ela que elevou a humanidade ao alto nível moral que atingiu na Idade Media; foi Ela que ensinou aos povos os princípios da sabedoria política e social de que decorreu o aparecimento da civilização justamente dita cristã; foi em Seu regaço que a teologia, a filosofia, as artes e a vida de sociedade floresceram.

A eclosão do protestantismo no século XVI representou a primeira revolta vitoriosa da humanidade contra a Igreja de Deus. A Igreja prega a submissão da razão à Fé; a subordinação do povo fiel à Hierarquia Sagrada; a pureza dos costumes em sua forma mais sublime, isto é o casamento monogâmico e indissolúvel e a castidade perfeita para os que não vivem no estado de casados. O protestantismo ensinou a escravização da Fé à razão, do governo eclesiástico ao povo, aboliu o celibato dos clérigos e instaurou o divórcio. A Revolução francesa foi, no séc. XVIII, o prolongamento do protestantismo. Proscreveu todos os cultos, proclamou a soberania da razão, estendeu o divórcio aos países católicos, e colocou todos os poderes civis na dependência do povo soberano, precisamente como o protestantismo colocara na dependência do povo os órgãos de direção eclesiástica. O comunismo é, nos séc. XIX e XX o prolongamento e o paroxismo desta tendência: igualdade absoluta até no terreno econômico, ateísmo radical, amor livre. Em suma, três revoluções que são apenas três etapas na marcha do mundo para um abismo profundo.

*    *    *

Como é natural, estas sucessivas catástrofes foram produzindo gradualmente seus efeitos nos ambientes, nos costumes, em todo o transformar-se da civilização. As heresias e os heresiarcas, considerados em ordem cronológica, foram sendo cada vez mais depravados de alma ou de corpo, mais escandalosos, piores. É que à medida que o processo de decomposição se acentua, mais ativos se tornam seus sintomas. E à medida que a impiedade se torna ou se supõe mais estável em seu triunfo, tanto mais livremente vai mostrando sua verdadeira fisionomia.


Aqui temos, pelo pincel de Lucas Cranach Senior, um grupo de homens com toda a aparência exterior da gravidade, da compostura, do recolhimento: da esquerda para a direita, Lutero, João Ecolampadio, Frederico o Magnânimo, Eleitor da Saxônia, Zwinglio e Melanchton, ou seja, os homens que inundaram de sensualidade a Alemanha, a Suíça, o mundo. Mas ainda havia entre os próprios hereges resíduos de moralidade, remanescentes de influência católica: o povo não seguiria lideres religiosos que não conservassem algumas aparências de recolhimento e gravidade.   

Estes resíduos de influência católica ao que estão reduzidos atualmente, em certos ambientes? Praticamente a zero. E o espírito dos heresiarcas - que é o mesmo em todos os séculos e para todas as doutrinas - se mostra hoje muito mais cinicamente à luz do sol.

*    *    *


Nosso outro clichê mostra um heresiarca do século XX, o famoso "Father divine", que obtém os sufrágios entusiásticos do povinho miúdo de nossos dias, como os obtinha do povinho de seu tempo o demagogo astuto que foi Lutero. O rosto do FATHER DIVINE resplandece da alegria de viver. Todo seu corpo parece saturado de bem-estar. Sua jovem e alva noiva dá idêntica impressão.

É que o espírito de revolta da sensualidade vivia a medo e às ocultas no séc. XVI. E no séc. XX tão grande é sua vitória, que se mostra sem rebuços. A fé, a pureza, estas, infelizmente, se imaginam na contingência de viver às ocultas..."


Salmo em reparação (Salmo 6)

"Senhor, não me arguas no teu furor, nem me castigues na tua ira. Tem misericórdia de mim, Senhor, porque sou enfermo; sara-me, Senhor, porque meus ossos estremeceram. E a minha alma turbou-se em extremo, mas Tu, Senhor, até quando? Volta-te, Senhor, e livra a minha alma, e salva-me pela tua misericórdia.

Porque na morte não há quem se lembre de Ti, e na habitação dos mortos, quem Te louvará? Estou esgotado à força de tanto gemer, lavarei meu leito com lágrimas todas as noites, regarei com elas o lugar do meu descanso. 

Os meus olhos se turbaram por causa do furor, envelheci no meio de todos os meus inimigos. Apartai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade, porque o Senhor ouviu a voz do meu pranto.

O Senhor ouviu a minha súplica, o Senhor ouviu a minha oração. Sejam confundidos, e em extremo conturbados todos os meus inimigos, retirem-se e sejam num momento cobertos de vergonha".


Veja mais sobre a crise na Igreja:

Papa Francisco admite bispos comunistas indicados pelo Partido Comunista Chinês. Cardeal Zen chamou acordo de traição

João Paulo II homenageia o herege blasfemo Martinho Lutero nos quinhentos anos de seu nascimento

Bento XVI diz amar a Igreja cismática, lamenta as excomunhões do passado, e diz crescer na unidade ao rezar junto destes e outros hereges 

Postura de João Paulo II em contraste com os Papados antecedentes 

Papa Francisco chamou a Rainha dos Céus de moça normal, uma "moça de hoje"

Clique para entender a crise na Igreja

 ------------------
[1] Link: https://www.youtube.com/watch?v=nsg0k1NhqFY
[2] "Eu achei a brincadeira de mau gosto, mas do papa a gente aceita.". Link: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/alexandre-garcia/brincadeira-de-mau-gosto-do-papa-mas-gente-aceita/
[3] Visto em 27 de Maio de 2021: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/564191-se-o-santo-oficio-ficar-sabendo-velhas-e-novas-historias-de-papas-e-prefeitos