João Paulo II em fotos revolucionando as vestes papais (parte 2): roupas xamânicas, de culto de zoroastrismo, orientais

Nunca na história da Igreja se viu Papas usarem chapéus de índio, mexicano, turba oriental, roupas xamânicas, de culto de zoroastrismo, ou mesmo roupas feias não condizentes com a posição do príncipe dos apóstolos. No entanto a mentalidade moderna na Igreja necessita "valorizar" todas as culturas. É claro, não conta a cultura católica tradicional, e por isso nada de Tríplice Tiara e Sédia Gestatória, entre outras coisas.

A única vez em que um alto sacerdote usou algo indevido na cabeça foi quando o Sumo Sacerdote Eterno, o Filho de Deus vivo Nosso Senhor Jesus Cristo foi escarnecido com a coroa de espinhos pelos soldados romanos que em seguida O levaram para ser crucificado. 


Por coincidência, é neste tempo em que a Igreja vive em sentido místico seu calvário que ela se põe a sua própria coroa de espinhos, cospe nos próprios olhos, se flagela, rasga as vestes e segue para se crucificar a si mesma. Rezemos sempre pela Santa Igreja, tendo em mente que "ao terceiro dia, ressurgirá".

-Roupas de João Paulo II

 

Destacamos aqui dois aparatos usados pelos Papas antigos com simbolismo em desarmonia com o "pentecostes do Concílio", e por isso deveria ter sido deixado de lado, e o foi. Outros paramentos foram pouco ou não usados por alguns Papas, mas não queremos citá-los por causa que eles poderiam ser restaurados sem romper com a revolução indumentária em curso, isto é, poderia ser restaurado para passar uma impressão de ortodoxia, diferente das roupas notadas aqui, que, pelo simbolismo, necessariamente seria uma afronta ao progressismo que já impera.
A Sede Gestatória (ou sédia gestatória), na figura com Pio XII, é ausente nos Pontificados pós-Conciliares a partir de João Paulo I. Representa a realeza do Papa, e que ele está acima de toda a gente, príncipes da terra ou não, e dali distribui as nções sobre a multidão. Acreditamos que só não foi inutilizado por Paulo VI porque este já havia deposto a Tríplice Tiara, o que já era uma atitude notável, e não poderia chamar mais atenção, pois a revolução progressista na Igreja nunca prosperou a passos largos.

São Pio X com a Tríplice Tiara e o Mantum
A Tríplice Tiara, usada pela última vez por Paulo VI, tendo sido deposta por esse Papa em ato simbólico em pleno Concílio Vaticano II. As três tiaras representam: o Bispo de Roma, o Papa, e o Príncipe dos Estados Pontifícios. Extremamente contra-revolucionária, pois ainda considera seu algo que na prática não é, por causa da revolução que tomou os Estados Pontifícios do Papa. Também simboliza uma realeza única entre todos os Bispos, religiosos e assim se põe acima de todos os príncipes da terra, líderes pagãos e bispos cismáticos. Um paramento nem um pouco ecumênico.

Oração pela restauração dos símbolos gloriosos da Santa Igreja

Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, rogai para a Igreja restaurar os símbolos que exibem sua grandeza, e para que seja proclamado entre as nações a verdadeira fé, e fazei o Corpo de Cristo assim poderoso na terra. Ó cheia de graça Nossa Senhora de Guadalupe, rogai por nós para não vermos vaidade nas coisas terrenas, mas escadas para as coisas do alto. São Pio X, rogai por nós. Amén.

João Paulo II em fotos revolucionando as vestes papais I: chapéu de índio, mexicano, oriental, cowboy. Tudo menos a Tríplice Tiara

Papa Bento XVI em fotos mostra que revolucionou os símbolos, roupas e paramentos Papais

Papa Bento XVI refuta em fotos os que o chamam de "mestre da liturgia"

Clique para entender a crise na Igreja