Papa Francisco em declaração conjunta diz que a-católicos fazem parte do Corpo de Cristo, os chama de irmãos, mártires, etc

Anti-Pope Francis and “Patriarch” Mar Gewargis III sign common statement - November 2018

Recomendamos ver previamente os seguintes artigos:

Bíblia, Papas e Santos confirmam: "fora da Igreja não há salvação"

Sagrada Escritura, Papas e Santos contra o ecumenismo ou contra a oração com os hereges e cismáticos

Hereges e cismáticos não podem ser mártires. Falam os Papas, santos e teólogos. Relação com a ignorância invencível

No dia 9 de Novembro de 2018 o Papa Francisco esteve com o "Patriarca" Mar Gewargis III "Patriarca da Igreja Assíria do Oriente”, uma seita cismática que não reconhece o Sumo Pontífice. Eles assinaram juntos uma declaração comum, da qual destacamos alguns trechos, e marcamos em negrito partes que chamam mais a atenção:

"1. Louvando a Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, nós, Papa Francisco e Patriarca catholicos Mar Gewargis III, elevamos as nossas mentes e os nossos corações em ação de graças ao Onipotente pela crescente proximidade na fé e no amor entre a Igreja Assíria do Oriente e a Igreja católica. (...)

2. Nos últimos decênios as nossas Igrejas aproximaram-se muito, como nunca ao longo dos séculos. Desde o seu primeiro encontro em Roma em 1984, os nossos predecessores, de veneranda memória, Papa São João Paulo ii e Patriarca Catholicos Mar Dinkha IV, empreenderam um caminho de diálogo. Estamos muito gratos pelos frutos deste diálogo de amor e de verdade, que confirmam que a diversidade de costumes e de disciplinas não é de modo algum um obstáculo para a unidade, e que certas diferenças nas expressões teológicas muitas vezes são complementares e não contrastantes."

Em seguida, falando da perseguição aos católicos ou qualquer um que se diz "cristão" no Oriente Médio, usa-se linguagem ecumênica. Aqui, se lê que a-católicos são parte do Corpo de Cristo:

"3. Na nossa peregrinação rumo à unidade visível, experimentamos um sofrimento comum que nasce da dramática situação dos nossos irmãos e irmãs cristãos no Médio Oriente, sobretudo no Iraque e na Síria. (...)

Sem distinção de rito nem de confissão, sofrem por professarem o nome de Cristo. Neles vemos o Corpo de Cristo que, ainda hoje, é atormentado, espancado e ultrajado. Estamos profundamente unidos na nossa prece de intercessão e no nosso compromisso caritativo em prol destes membros sofredores do Corpo de Cristo (...).

Assim como o sangue de Cristo, derramado por amor, trouxe reconciliação e unidade e fez prosperar a Igreja, também o sangue destes mártires do nosso tempo, membros de Igrejas diversas, mas unidos pelo seu sofrimento comum, é semente de unidade cristã (...)" [1].

Posteriormente, dia 30 de novembro de 2018, o Papa Francisco em carta chama o "Patriarca" cismático de "Vossa Santidade" e agradece a presença na oração conjunta que fizeram no encontro anterior:

"(..) transmito os meus sentimentos de profundo afeto, juntamente com a garantia das minhas orações por Vossa Santidade, amado irmão em Cristo (...).

Enquanto poderia parecer que séculos de recíprocos desentendimentos, diferenças e silêncios tivessem comprometido esta relação, o Espírito Santo, Espírito de unidade, permitiu que recomeçássemos um diálogo fraterno. Ele foi retomado de modo definitivo pelos nossos veneráveis predecessores, Patriarca Atenágoras e Papa São Paulo VI, permitindo-nos que redescobríssemos aqueles vínculos de comunhão que sempre existiram entre nós (...).

A busca da restauração da plena comunhão é em primeiro lugar uma resposta à vontade de nosso Senhor Jesus Cristo (...). Desejo exprimir a minha profunda gratidão a Vossa Santidade pela sua presença no dia de oração e reflexão pela paz no Médio Oriente (...)".

E termina a carta pedindo orações:

"Com sentimentos de profunda estima e afeto fraterno, confiando também nas suas orações, troco com Vossa Santidade um abraço de paz em Cristo nosso Senhor" [2].

Salmo em reparação (Salmo 6)

"Senhor, não me arguas no teu furor, nem me castigues na tua ira. Tem misericórdia de mim, Senhor, porque sou enfermo; sara-me, Senhor, porque meus ossos estremeceram. E a minha alma turbou-se em extremo, mas Tu, Senhor, até quando ? Volta-te, Senhor, e livra a minha alma, e salva-me pela tua misericórdia.

Porque na morte não há quem se lembre de Ti, e na habitação dos mortos, quem Te louvará? Estou esgotado à força de tanto gemer, lavarei meu leito com lágrimas todas as noites, regarei com elas o lugar do meu descanso. 

Os meus olhos se turbaram por causa do furor, envelheci no meio de todos os meus inimigos. Apartai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade, porque o Senhor ouviu a voz do meu pranto.

O Senhor ouviu a minha súplica, o Senhor ouviu a minha oração. Sejam confundidos, e em extremo conturbados todos os meus inimigos, retirem-se e sejam num momento cobertos de vergonha".

Veja mais sobre a crise na Igreja:

João Paulo II homenageia o herege blasfemo Martinho Lutero nos quinhentos anos de seu nascimento

Bento XVI diz amar a Igreja cismática, lamenta as excomunhões do passado, e diz crescer na unidade ao rezar junto deles e hereges 

João Paulo II celebra missa com homens e mulheres nus (índios - com censura), que ajudam a ler a epístola e a levar as oferendas  

Papa Bento XVI refuta em fotos os que o chamam de "mestre da liturgia"

Clique para entender a crise na Igreja

----------------------------------------
[1] À Sua Santidade Mar Gewargis III, Catholicos-Patriarca da Igreja Assíria do Oriente. Link: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2018/november/documents/papa-francesco_20181109_mar-gewargis3.html
 [2] Mensagem do Santo Padre à Sua Santidade Bartolomeu I, Patriarca Ecumênico por ocasião da Festa de Santo André. Link: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/messages/pont-messages/2018/documents/papa-francesco_20181130_messaggio-bartolomeo-i.html