Dr. Plinio prevê, por hipóteses, fatos em torno do Segredo de Fátima

Dr. Plinio contemplando a Sagrada Imagem peregrina
(com a capa da TFP) de Nossa Senhora de Fátima,
que chorou em Nova Orleans em 1972, onde ocorria
um carnaval indecente ("mardi gras")

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Extraído de: "O Príncipe dos Cruzados (Vol. I, parte 2, 3a edição)".

Todos os católicos que no século XX viam a dimensão do desastre espiritual confiavam, sabendo que havia uma parte não revelada do segredo de Fátima, que este falasse sobre a crise na Igreja e seu término.


Algumas das razões para tal ausência de divulgação eram óbvias, como Plinio Corrêa de Oliveira salientou em prefácio da notória obra do fatimólogo Borelli Machado: "A parte ainda não divulgada do segredo provavelmente contém pormenores assustadores sobre o modo pelo qual se cumprirão os castigos anunciados em Fátima. Pois só assim se explica porque possa parecer duro publicá-la. Se ela contivesse perspectivas distensivas, tudo leva a crer que já estaria publicada" [1].

Talvez pela repercussão crescente deste tipo de suspeita em setores da opinião pública católica, o Vaticano divulgou o segredo em 2000, afirmando que João Paulo II se interessou por este após o atentado sacrílego de 1981, no dia 13 de Maio, festa da aparição (quase vinte anos antes de sua divulgação oficial) [2]. A "tentativa de interpretação" do Vaticano para a visão do segredo afirma que João Paulo II se viu, assim como aos outros Papas do século XX, no Papa mártir da visão [3]. O documento não diz com todas as letras, contudo parece indicar que a irmã Lúcia, vidente de Fátima, concordou com esta interpretação [4].

Assim, o Cardeal Ratzinger (após 2013, ex-Papa Bento XVI), encarregado dos comentários, enterra a crença de que Fátima traçou um cenário sombrio próximo: "não é revelado nenhum grande mistério; o véu do futuro não é rasgado (...). Os diversos acontecimentos, na medida em que lá são representados, pertencem já ao passado. Quem estava à espera de impressionantes revelações apocalípticas sobre o fim do mundo ou sobre o futuro desenrolar da história, deve ficar desiludido".

Em relação às notórias frases da irmã Lúcia em relação à data da publicação, lê-se: "Uma vez que a Irmã Lúcia, antes de entregar ao Bispo de Leiria-Fátima de então o envelope selado com a terceira parte do «segredo», tinha escrito no envelope exterior que podia ser aberto somente depois de 1960 pelo Patriarca de Lisboa ou pelo Bispo de Leiria, o Senhor D. Bertone pergunta-lhe: «Por que o limite de 1960? Foi Nossa Senhora que indicou aquela data?». Resposta da Irmã Lúcia: «Não foi Nossa Senhora; fui eu que meti a data de 1960 porque, segundo intuição minha, antes de 1960 não se perceberia, compreender-se-ia somente depois. Agora pode-se compreender melhor. Eu escrevi o que vi; não compete a mim a interpretação, mas ao Papa»."

Uma pergunta vem à mente: por que a Irmã Lúcia, antes da metade do século XX, pediu para que a outra parte do segredo fosse aberta depois de 1960, se o segredo, segundo interpretação que a irmã Lúcia apoiou, simbolizava todos os Papas do século?

***


Apesar disso tudo, algumas hipóteses de Dr. Plinio sobre o segredo se confirmaram quanto ao conteúdo do segredo revelado em 2000, que não foi conhecido do referido católico, falecido em 1995.

Estão compiladas aqui também outras hipóteses de Dr. Plinio em torno do segredo de Fátima, comumente tratadas em fatimologia.

Às hipóteses, resumidas em cinco, seguem breve comentário sobre sua situação atual, textos onde se apoiam, fonte e data.

***

Sumário das Hipóteses de Plinio Corrêa de Oliveira sobre 
o segredo de Fátima (que não foi revelado até sua morte)


1 - Explica a crise na Igreja e contém ameaças terríveis
2 - Será vítima de uma grande falsificação

3 - Contém mais de um tema
4 - Sua revelação desatará o Castigo
5 - A irmã Lúcia não correspondeu à graça que lhe foi dada


***

Hipótese 1: O segredo de Fátima explica a crise na Igreja e contém ameaças terríveis.

Situação atual da hipótese: quando se refere à crise na Igreja, não é uma previsão original, pois muitos já hipotetizavam igualmente. No entanto, a hipótese de que ameaças terríveis virão parece se confirmar no segredo divulgado pelo Vaticano, que mostra uma visão de um cenário dantesco para a Igreja, ainda que não tenhamos a interpretação oficial, a da Santíssima Virgem, que interpretou a visão precedente do inferno.

"Eu tenho por várias razões, uma certeza moral e não documentária, de que na última parte do segredo de Fátima, Nossa Senhora fala com certeza a respeito da prevaricação eclesiástica e um misterioso castigo que vem e que a meu ver é triplo: subversão da ordem eclesiástica para submergirmos num estado de mistério.. subversão completa da ordem civil, ... subversão da natureza, da ordem material; e, coisa muito misteriosa, mas a meu ver uma intervenção possível do demônio na História."

(11 de outubro de 1965, Simpósio Arg, "o que somos nós I")

"a parte conhecida do segredo de Fátima, se fosse devidamente comentada, já representaria um tranco na heresia branca [N.E: termo que designava a atitude sentimental que se manifestava sobretudo em certo tipo de piedade adocicada e uma posição doutrinal relativista que procurava justificar-se sob o pretexto de uma pretensa "caridade" para com o próximo]. A par disso, se os senhores consideram que lendo o texto, lendo com uma leitura desconfiada... Porque essa leitura ou é desconfiada, ou é tonta. Porque aonde se sabe, onde está declarado e nos estão ocultas várias coisas; não uma só, não apenas o segredo, mas várias coisas, – tem-se que ler com desconfiança para saber o que foi ocultado e qual o sentido global do texto que está subentendido – a nossa atenção, da leitura desconfiada da mensagem de Fátima, nos faz perceber que houve uma espécie de força enorme que se sentiu esmagada, e que deitou peso para esmagar a mensagem e evitar que ela desse toda a sua voz. 

Depois, no que diz respeito ao próprio segredo, pela própria arquitetura da mensagem de Fátima, a gente lendo com atenção, – e daqui a pouco veremos os textos para acompanhar isto, – a gente percebe que necessariamente, ou quase necessariamente, a parte que não foi revelada contém ameaças terríveis! E que foi para que essas ameaças não saíssem que o segredo foi guardado até nossos dias. Essas ameaças conteriam provavelmente uma revelação sobre o estado da Igreja em nossos dias e conteriam, provavelmente, uma definição dessa situação dentro da Igreja contemporânea. Já é uma hipótese mais remota, mas é uma hipótese provável como os senhores verão pelo texto, se eu tiver tempo de desenvolver todo o texto."


(13 de julho de 1973, Reunião Normal)


"Lourdes, Salete primeiro, depois nós temos Fátima. Quer dizer, três grandes aparições, em todas as três, Nossa Senhora revela um segredo ... nos dá a idéia de um segredo terrível, nos dá a idéia de um segredo tremendo. E então a gente vê aí o sinal da Bagarre que se aproxima. Entre outras coisas, certamente, eu creio que no segredo de Fátima existe a Bagarre [N.E: termo inadequado para descrever "castigo", pois equivale na língua francesa ao termo "lío" em espanhol, e pode ser traduzido por "confusão". Por ter se impregnado no vocabulário corrente, e na maioria das vezes interno da TFP, Dr. Plinio dizia que não podia ser suprimido]."

(11 de fevereiro de 1967, Reunião "Santo do Dia")

"Existe o problema do segredo de Fátima. O que é que esse segredo contém? Não se sabe o que ele contém... O segredo é um, mas pode conter muitos elementos. Se Nossa Senhora tivesse prenunciado em Fátima o castigo da Igreja, é certo que isso teria sido mantido em secreto. Isso é certo.

Ora, há um segredo que está mantido, tudo leva a crer que isso é um dos elementos do segredo. Nossa Senhora deve, no segredo, ter dito coisas muito duras à respeito do futuro da Igreja, e deve ter dito coisas muito duras a respeito do clero [N.E: tal hipótese se confirmou quanto ao segredo de La Salette, descoberto no seu original em 2004 no arquivo do Vaticano]. E porque não se deu importância a isso, naturalmente caiu o que Ela prometeu.

Bem, então em vista disso, nós não podemos considerar que os prenunciados por Nossa Senhora em Fátima são castigos que estão para acontecer, mas nós devemos considerar que são castigos que já começaram a acontecer. Quer dizer, é um sistema de castigos, é um processo punitivo que já se desencadeou. E se esse processo se desencadeou, é muito mais provável admitir que ele chegue até o fim do que admitir que ele pare".


(13 de maio de 1969, Reunião "Santo do Dia") 

"O “Por fim meu Imaculado Coração triunfará”, frase de Fátima, encontra sua confirmação no Equador [N.E: mensagens de Nossa Senhora do Bom Sucesso para Madre Mariana de Jesus Torres, em Quito]. É o triunfo do Imaculado Coração dEla que está descrito. Mas, está descrito antes dEla dizer: “Por fim meu Imaculado Coração triunfará”.

Ela diz, no Equador, a respeito da crise da Igreja, palavras que ao que consta em Fátima não foram ditas. Se bem que eu tenha todas as desconfianças de que o tema do Segredo de Fátima seja a crise dentro da Igreja."


(14 de agosto de 1981, CER)
 
"Olha aqui: o segredo de Fátima não vai sair porque eu acho que o segredo de Fátima fala do Vaticano II. E isso eles não querem que se publique por nenhum preço! E acho que se pode conjecturar que o segredo de Fátima vem uma explicação teológica do Vaticano II, caso o mundo não se emende. Então vem uma explicação teológica de como é que foi que aconteceu e como é que deve ser vista a situação teológica. Porque está criado um impasse teológico do outro mundo!"


(20 de setembro de 1991, Rec)

 
 

Hipótese 2: O segredo de Fátima será vítima de uma grande falsificação.

Situação atual da hipótese: a hipótese da falsificação só se mantém de pé se significa que o terceiro segredo ou não será revelado por inteiro, ou o segredo divulgado em 2000 não é o verdadeiro. Sustentamos na parte 1 deste volume, ainda sem conhecimento destes textos, que a primeira opção é a mais plausível, mas só um futuro Papa poderá confirmá-la ou não, ainda que não um entusiasta do Papado de João Paulo II, que parecia crer que o segredo "pertence ao passado".

"[N.E: provavelmente após alguma notícia escabrosa sobre como o alto clero da época enterrava a mensagem de Fátima]... Santa Teresa de Jesus quando ouvia falar das profanações que os protestantes faziam um pouco na Europa inteira, mas sobretudo em algumas partes da Alemanha, contra o Santíssimo Sacramento – houve um historiador que chegou a dizer que o solo da Alemanha ficou coalhado de hóstias consagradas –; quando ela ouvia falar na negação do culto a Nossa Senhora, negação da infalibilidade papal quando ela ouvia falar da quebra das imagens, etc., etc., ela ardia em zelo para acabar com isto e ela pedia a Nosso Senhor que aceitasse a vida dela em holocausto para derrotar esse inimigo pavoroso e para desagravar a honra e a glória dEle com fatos dessa natureza.

Isto é muito pior!

[N.E: em seguida, Dr. Plinio lamenta o fato da mensagem ter sido posta de lado pelos hierarcas, incluindo o próprio Papado de então].

Agora, há uma injustiça maior, há uma ingratidão mais completa a este ato de bondade de Nossa Senhora? Pode-se fazer um ato que corresponda mais superlativamente aos conceitos de uma afronta? (...)

Poderíamos fazer aqui um ato de reparação individual em alguns pontos, por alguns minutos.
 

Nós deveríamos começar por considerar isto... A primeira coisa é o seguinte: Nossa Senhora que vem à terra com uma mensagem de amor para evitar a aplicação da justiça. Essa mensagem não é ouvida, caminha-se de requinte em requinte na rejeição, até se organizar um combate a essa mensagem feita em nome da mensagem, falsificada no local de onde a mensagem irradia para deturpar, deformar aqueles a quem a mensagem atrai. Portanto, o auge da inversão de valores. Compenetrarmo-nos bem da tremenda falsificação que isto representa [Meio minuto de silêncio].

Outro ponto: quem faz isto. Na revolução espanhola de 1935 isto foi feito também. Eram os inimigos da Igreja que atacavam a Igreja, demoliam as coisas da Igreja. Hoje não é isto. É tão horrível quem faz isto que a gente prefere não mencionar, lembrando apenas as palavras do Salmo: "Se um outro fizesse isso, mas tu que era um só homem comigo, vir unanime, e que comigo te sentavas à minha mesa e comigo saboreavas doces frutos." Então é o mais íntimo dos mais íntimos, seguido dos que são mais íntimos desse mais íntimo que se servem dos seus poderes para estrangular aquilo que eles deveriam vivificar. Se a traição de Judas fez sofrer tanto [a Nosso Senhor que O fez exalar] aquela queixa pungente cujo tom de voz se ouve até hoje: "Judas, a que vens? Amigo, com um beijo trais o Filho do Homem?" Nós devemos pensar que algo disso parecido se passa. E perguntar: "Isto para mim é indiferente? Meus interesses, meu amor próprio, minha vaidade, isso para mim vale mais do que isto? Então, quem sou eu? Onde afundou a minha pobre alma?" [Devo] ajoelhar-me em espírito e pedir [uma] metanóia, [uma] transformação de mentalidade. "Que eu seja inteiramente outro, meu Deus, pelas vossas Chagas e pelas lágrimas de Maria. [Meio minuto de silêncio]"

(19 de maio de 1967, Reunião de Recortes)

"[N.E: Falando sobre o problema da Revolução em Portugal] Então os senhores tem profeticamente falando o seguinte: os filhos do mal, os agentes do demônio que se reúnem e resolvem fazer uma farsa aos olhos do mundo para embair o mundo inteiro. É como se aparecesse um demônio e contasse uma mentira e o mundo inteiro apocalipticamente acredita nesta farsa e aplaude. É uma farsa pacifista, não haverá guerras cívicas, não haverá revolução, não haverá guerras internacionais.

Isto é feito no país onde Nossa Senhora apareceu para dizer o contrário. Quer dizer, todo o talento humano, todo o gênio humano, todos os recursos humanos se concentram para proclamar: A Mensagem de Fátima é falsa. Não farão alusão sequer à Mensagem, mas é o que fica, a Mensagem não tem sua realização e o desafio a Nossa Senhora é frontal. De onde, a pergunta: onde estais Senhora? Porque pareceis dormir? Levantai-vos.

E a solução é dizer a ela: minha Mãe, nesta situação, vossos filhos e vossos escravos nada podem por Vós. Ou Vós ajudais a Vós mesma. Vós amais a vossa palavra, amais o vosso reino e depois de tudo feito para que não aconteça nada do que vós disserdes, tenhais dito, tudo o que Vós dissestes acontece, acontecerá. Ou é isto, ou nada mais tem sentido, porque o comunismo espalha com isto seus erros por toda a parte. Onde está o resto, minha Mãe?"

(26 de julho de 1975, Reunião de Recortes)

"Se for verdade que além do segredo de Fátima propriamente dito o texto sofreu outras mutilações, o que indicaria que ele tem ainda outros segredos, além dos de Fátima, que estão ainda para serem revelados?

Como eu disse aos senhores, isso teria que ser uma crítica desconfiada, uma crítica não para provar inteiramente a coisa, a tese, mas sim para levantar todos os pontos singulares para, à vista desses pontos singulares, deduzir uma probabilidade. Porque uma prova inteiramente concludente, eu não digo que o texto dê margem para isso, mas a questão que uma simples probabilidade seria digna de nota, já interessa nessa matéria."

(27 de julho de 1973, Reunião Normal)

"Os senhores viram alguém acreditar em profecias revelando castigos? Os senhores viram alguém individualmente ter sido ameaçado de castigo sobrenatural, em sonho? Nada. O Céu está mudo? Não está. O Céu falou em La Salette [N.E: Dr. Plinio não leu o segredo de La Salette original, que estava perdido e foi encontrado por um sacerdote francês no Vaticano, em 2004]; o Céu falou no segredo que Nossa Senhora revelou a Santa Bernadette em Lourdes; o Céu falou notadamente em Fátima. Mas esses segredos não se revelam. A voz do Céu é abafada. Não há imprimatur para o Céu. O segredo de Fátima não se manifesta. E o resultado nós estamos vendo aqui. As ameaças salutares que podiam salvar a humanidade, essas ameaças não chegam.... Os senhores meçam por aí o tamanho do pecado."

(24 de fevereiro de 1967, Reunião "Santo do Dia")

"Segredo de Nossa Senhora em Lourdes, segredo de Nossa Senhora em Fátima, segredo em La Salette. Nunca houve uma época em que de tal maneira Nossa Senhora contasse coisas e fosse amordaçada. Mas esses documentos ficando, haverá um dia em que eles serão conhecidos. E no dia em que eles forem conhecidos, haverá algo com que ninguém conta. E é o por onde esses receptadores de segredos vão ser responsáveis pela história. E onde também os segredos resplandecerão, e a sua origem sobrenatural ficará patente! [N.E: esta hipótese já se verificou quanto ao conteúdo do segredo de Nossa Senhora de La Salette, descoberto nos arquivos do Vaticano em 2003-04. Contudo, um vidente deste segredo, segundo www.aparicaodesalette.blogspsot.com, já previra que o segredo seria perdido, mas redescoberto]"

(31 de agosto de 1983, Reunião "Santo do Dia")


 

 

Hipótese 3: O segredo de Fátima contém mais de um tema.

Situação atual da hipótese: semelhante hipótese sustentamos na parte 1 deste volume, ainda sem conhecimento destes textos. Como lá afirmamos, só um futuro Papa poderá confirmá-la ou não. No entanto, este não poderá ser um entusiasta de João Paulo II, que parecia crer que o segredo "pertence ao passado". 

"Às vezes as pessoas se perguntam qual é o tema do segredo de Fátima. Eu fico com vontade de perguntar a elas quem é que lhes disse que o segredo contém um tema só. É um suposto. Há uma mensagem secreta. Agora, o que essa mensagem contém nós não sabemos."

(12 de outubro de 1981, SIM)

"Se for verdade que além do segredo de Fátima propriamente dito o texto sofreu outras mutilações, o que indicaria que ele tem ainda outros segredos, além dos de Fátima, que estão ainda para serem revelados?

Como eu disse aos senhores, isso teria que ser uma crítica desconfiada, uma crítica não para provar inteiramente a coisa, a tese, mas sim para levantar todos os pontos singulares para, à vista desses pontos singulares, deduzir uma probabilidade. Porque uma prova inteiramente concludente, eu não digo que o texto dê margem para isso, mas a questão que uma simples probabilidade seria digna de nota, já interessa nessa matéria."

 (27 de julho de 1973, Reunião Normal)

 





Hipótese 4: A revelação do segredo de Fátima desatará o Castigo.

Situação atual da hipótese: Tal hipótese se coaduna com o já tratado neste artigo, e na parte 1 deste volume, pois se a revelação da integralidade do segredo de Fátima (caso falte algo, única alternativa por onde esta hipótese ainda permanece válida) desatará o castigo, ela será revelada por um Papa Santo.

"Qual é a relação entre esse estado de espírito meio dramático com a revelação do Segredo de Fátima, por exemplo, a Irmã Lúcia dando uma entrevista por televisão?
 
É o que a Revolução mais teme hoje; é por isso que poderia provocar a Bagarre [N.E: termo inadequado para descrever "castigo", pois equivale na língua francesa ao termo "lío" em espanhol, e pode ser traduzido por "confusão". Por ter se impregnado no vocabulário corrente, e na maioria das vezes interno da TFP, Dr. Plinio dizia que não podia ser suprimido]? Eu creio que por mil imponderáveis (dos quais eu poderia montar um quadro) que se a Irmã Lúcia saísse revelando o segredo de Fátima, sobretudo acrescentando que o comunismo é o castigo, que é necessário reagir, eu creio que isto poderia abrir os olhos. Sem falar das graças que acompanhariam essa mensagem. Como a opinião pública tem como um dos estados de espírito a possibilidade da bagarre, a revelação do segredo faria que essa idéia passasse ao primeiro plano (a idéia de Bagarre) quando agora estão relegando ao último."

(17 de junho de 1973, Reunião de Recortes)

"Um último ponto: é uma explicação que eu devo aos senhores a respeito desse abaixo-assinado aqui. Esse abaixo-assinado, eu o redigi com cuidado. Os senhores terão visto que não tem nada que eu não tivesse o direito de presumir que os senhores quisessem assinar. A idéia é esta: a revelação do segredo de Fátima, deve, a meu ver, desatar a Bagarre. Ora, eu presumo que todos os senhores queiram a Bagarre. Logo, pedir à irmã Lúcia que revele esse Segredo, eu tenho impressão que... se eu perguntasse aos senhores todos quais dos senhores querem que a irmã Lúcia revele o segredo, todos levantariam o braço."

(13 de maio de 1973, Reunião Santo do dia)

 

 

 



Hipótese 5: A irmã Lúcia não correspondeu à graça que lhe foi dada.

Irmã Lúcia aproximadamente quando Dr. Plinio
a viu pessoalmente e por foto, respectivamente,
conforme os textos deste artigo


Situação atual da hipótese:
a Irmã Lúcia morreu uma década depois de Dr. Plinio. Este parece ter rejeitado, através dos textos abaixo, a tese de que a irmã Lúcia foi substituída por uma falsa, algo que talvez fosse já sustentado em seu tempo. As ditas provas da substituição, talvez só divulgadas posteriormente ao tempo de Dr. Plinio, podem ser respondidas, diante do contraste mais gritante, com a afirmação de que a irmã Lúcia de fato mudou, pois o tamanho da decadência costuma ser proporcional ao tamanho da não correspondência com a graça.

"(...) quando eu estive em Lisboa no ano de 1950, em Portugal, eu fui visitar o Arcebispo de Coimbra da Diocese em cujo território está o Carmelo onde está a Irmã Lúcia. E eu perguntei ao Arcebispo, eu disse:

Sr. Arcebispo, eu pediria eu fui com uma carta de apresentação de um Cardeal romano, do Arcebispo de Braga que era meu amigo, deu várias recomendações (...)

Bem, eu quis falar com a irmã Lúcia. Ele me levou para falar com ela, depois de eu insistir. Eu agradei o Arcebispo mas com todos os modos com que eu saiba agradar uma pessoa. Inclusive eu que não sou brincalhão por temperamento, percebendo que ele gostava de brincar, até brinquei com ele: "he, hehehe", contei casos engraçados, eu fiz tudo o que eu podia. Eu nunca na minha vida me empenhei tanto para agradar uma pessoa como me empenhei em agradar aquele Arcebispo. Resultado, ele me disse:

Está bem, vamos! Vamos e vamos no meu automóvel!

Tomamos o automóvel dele, um bonito automóvel aliás, e fomos pelas ruas de Coimbra até o Carmelo.

Ele chega lá, quando vão chamar a Irmã Lúcia, ele me disse, sério:

Eu exijo do senhor que o senhor me faça uma promessa. O senhor nada pergunte à Irmã Lúcia sobre o segredo de Fátima.

Aparece a pobre Irmã Lúcia lá. Ele ainda usa uma restrição. Ele diz para ela
eu estava vestido por coincidência com um terno azul-marinho muito escuro e uma gravata também escura por coincidência e ele achou que aquilo podia passar por um clergyman e sabendo que eu era prior da Ordem Terceira do Carmo, ele disse para ela o seguinte: "Irmã, aqui está o Prior do Carmo em São Paulo".

Naquele tempo os sacerdotes dos países de língua latina não usavam ainda clergyman. Ela olhou assim para a minha roupa e disse muito espantada:

Prior do Carmo?

Ele disse:

Sim senhora! Ele veio visitar a senhora aqui.

Era uma exceção raríssima porque a Irmã Lúcia não recebia visita de ninguém.

Voltou-se para mim e disse:

Sr. Prior, diga o que quer.

Eu não podia perguntar pelo segredo. Eu pedi orações. A Irmã Lúcia muito candidamente disse:

Aqui ao meu lado está a Madre superiora. O senhor peça que ela mande todas as freiras rezarem junto comigo que o senhor terá as orações do Convento inteiro.

Eu queria dela mais do que do Convento inteiro. Mas enfim, o Convento inteiro ainda não estava mal. Eu disse: Por favor, Madre Superiora.

Está bem, vamos rezar.

Está acabado. Eu pedi por mim, por meus amigos
não existia TFP naquele tempo. Então falei em meus amigos e me despedi."

(6 de Agosto de 1971, Semana de estudos para formação anti-comunista, SEFAC)

"A única pessoa, em relação à qual há uma revelação clara, precisa, definida de que tem uma missão confiada pessoalmente por Nossa Senhora nessa Terra, é a Irmã Lúcia. É verdade que quando ela apareceu, naquela fotografia de Fátima ao lado de Paulo VI, eu não tive uma impressão muito extraordinária dela. Não correspondia nem um pouco ao que eu tinha visto na cara dela há uns 10 ou 15 anos antes. Eu vi uma parte do rosto dela apenas. Não correspondeu nem um pouco".

(22 de março de 1971, Reunião do Santo do dia)

"Uma, é que a TFP cresça, em número e santidade, no Brasil e no mundo. Essa é a primeira intenção. A segunda é que a irmã Lúcia revele o segredo de Fátima. Os senhores assinaram com sangue. Nesse livro o padre conta o seguinte: Que ele assistiu, na televisão, a visita de Paulo VI a Fátima; e que ele viu a Irmã Lúcia, com lágrimas, pedir a Paulo VI uma audiência, e Paulo VI responder a ela – o que, depois, as notícias dos jornais deram – que ele não tinha tempo para falar com ela, que ela falasse com o Bispo."

(18 de maio de 1973, Êremo de Elias II)

"A existência dela tem sempre um lado precioso: É evitar o contra-segredo, o segredo falso. Os senhores não achariam muito de recear que de repente aparecesse um falso segredo de Fátima, recomendando, por exemplo, de aderir ao comunismo, de entrar no contexto do comunismo? Não acham que seria muito receável? Eu acho que muito. A garantia que temos contra isso é a palavra dela, a presença dela. Se ela ficar quieta, não quer dizer nada. Mas se ela disser que não, arrasa o negócio. De maneira que isso quer dizer algo."

(6 de julho de 1974, Reunião Santo do dia)

"Humanamente falando, poder-se-ia objetar a isso o seguinte: a mensagem dada a ela não foi uma mensagem para repercutir; foi feita para intervir eficazmente. Quantos males já poderiam ter sido evitados se ela tivesse falado? Tanto mais que há muitas razões para se supor que a mensagem de Fátima fala da crise progressista e até do caso Paulo VI. Quanto desastre se teria evitado, se ela tivesse falado!"

(19 de outubro de 1974, Reunião do Santo do dia)

"Eu tenho provas provadas de que a irmã, que é a detentora do segredo de Fátima, diz coisas que são contra a doutrina católica e contra o segredo de Fátima
quer dizer, uma espécie de auge de apostasia, de catástrofe como ninguém pode imaginar. Há uma pessoa "x" que eu conheço como conheço os senhores, essa pessoa "x" esteve várias vezes em Coimbra com a irmã Lúcia e no convento onde se diz que ela é carmelita. Podia caber uma dúvida se essa é a carmelita autêntica. Um dia ele foi visitar a irmã Lúcia por um privilégio atinente ao fato de que ele teve oportunidade de ajudar economicamente a família da irmã Lúcia, que é muito pobre. Quando a irmã Lúcia recebe a família, se essa pessoa está em Portugal é admitida entrar com a família. Essa pessoa entrou num dia em que estava recebendo a família, e viu que a família inteira reconhecia aquela freira como sendo a autêntica irmã Lúcia. De maneira que não há dúvida nenhuma que a pessoa, cujo depoimento eu vou dar daqui a pouco, esteve com a verdadeira irmã Lúcia.

Ele teve mais de uma vez ocasião de conversar com a irmã Lúcia a sós, e quando esteve a sós abordou a questão do segredo se era verdade que viria a Bagarre [N.E: o castigo], etc, etc. Ela disse: "Olhe tire isso da cabeça, isso não é assim. Deus nunca castiga ninguém."

Isso é contra a doutrina católica.

"O que acontece é que por efeito do pecado original, dos pecados atuais, o pecado castiga o pecador. Então, às vezes acontece que por exemplo, um homem freqüenta antros de perdição
ela queria talvez falar de prostituição e ali como fruto do pecado se vicia na droga. Então naquele antro a pessoa é atraída por dois fatores de mal: a impureza mais a droga. A impureza e a droga produzem na pessoa outros desregramentos que produzirão ainda outros pecados. Um pecado atrai outro pecado, este é o castigo. Mas Deus intervir na História para mover fatores naturais para castigar o gênero humano, isto Ele não faz porque é oposto à bondade de dEle."

O segredo de Fátima, a parte oficial que está publicada, diz o contrário. Diz formalmente o contrário, e os senhores se lembrarão disso, eu julgo até supérfluo lembrar.

Quer dizer, a coisa chegou a um tal espavento de abominação, de perdição de tudo quanto o senhor pode querer, que a pastora que continua viva para custodiar, para defender o segredo de Fátima
porque foi dito a ela que ela continuava na Terra para isto de fato, apunhala o segredo de Fátima."

(26 de março de 1995, chá na Sede do Reino de Maria)

 

Clique aqui para ver mais sobre Plinio Corrêa de Oliveira e suas previsões

Dr. Plinio tem seu profetismo reconhecido por Ministro do Supremo Tribunal Federal na questão indigenista

Dr. Plinio profetiza o nudismo nos trajes e o Carnaval imoral em 1944 e 1956

Dr. Plinio prevê a permanência da mentalidade nazista no aborto e esterilização em 1943, ao comentar a mentalidade revolucionária

Dr. Plinio prevê o Papado de Bento XVI (Cardeal Ratzinger) duas décadas antes

Dr. Plinio prevê o incentivo à sodomia por parte do clero, e o choque interno que resultará disso, analisando uma notícia


-----------------------------------------
[1] Prefácio a A. A. BORELLI MACHADO, "As aparições e a mensagem de Fátima segundo os manuscritos da irmã Lúcia", p. 16
[2] Dom Tarcísio Bertone: "João Paulo II, por sua vez, pediu o envelope com a terceira parte do « segredo », após o atentado de 13 de Maio de 1981" (...). Cardeal Ratzinger: "Não era razoável que o Santo Padre, quando, depois do atentado de 13 de Maio de 1981, mandou trazer o texto da terceira parte do « segredo », tivesse lá identificado o seu próprio destino?". Congregação para a Doutrina da Fé, A Mensagem de Fátima, Link: https://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html
[3] "Não era razoável que o Santo Padre, quando, depois do atentado de 13 de Maio de 1981, mandou trazer o texto da terceira parte do « segredo », tivesse lá identificado o seu próprio destino?".
[4] "Quanto à passagem relativa ao Bispo vestido de branco, isto é, ao Santo Padre — como logo perceberam os pastorinhos durante a « visão » — que é ferido de morte e cai por terra, a irmã Lúcia concorda plenamente com a afirmação do Papa: « Foi uma mão materna que guiou a trajectória da bala e o Santo Padre agonizante deteve-se no limiar da morte » (João Paulo II, Meditação com os Bispos Italianos, a partir da Policlínica Gemelli, 13 de Maio de 1994)."